in

Fusca reformado por Gugu vira caso de Justiça; dona odiou o resultado e conta o porquê

Reprodução/Record

A morte do apresentador Gugu comoveu o público brasileiro no último 22 de novembro. Após um acidente doméstico em sua residência na cidade de Orlando nos Estados Unidos, Gugu passou 48 horas em observação no hospital até ter sua morte cerebral decretada. 

Publicidade

A comoção pela sua morte pode ser explicada pelas quase quatro décadas em que o apresentador esteve a frente de grandes produções da televisão brasileira e também por ajudar muitas pessoas em alguns quadros de seus programas mais famosos. 

No entanto, uma pessoa ficou famosa em todo país por não gostar nem um pouco do resultado de uma ajuda do Gugu. A artesã Nancy Lima sonhava desde criança em ter um Fusca, sonho que ela realizou, porém o carro ano 1979 era cheio de problemas. 

Publicidade

A pindamonhangabense resolveu em 2015 tentar a reforma do carro no Programa do Gugu. A produção gostou da história da artesã e foi até sua casa pra ver o fusquinha e combinar com Nancy o que seria feito no carro prometendo atenção especial nos amassados da lataria e assoalho, além de defeitos na parte elétrica, portas, borrachas e principalmente no motor. Outros itens básicos também entraram no acordo, como a pintura do carro e a troca dos pneus. 

Publicidade

No dia de receber o carro porém, veio a frustração. Após passar por algumas gincanas do programa começaram os sustos e a indignação de Nancy. Primeiramente apresentaram um carro todo cor de rosa para a artesã e seu descontamento foi tanto que sua reação acabou virando meme nas redes sociais. 

Publicidade

No entanto, aquele carro não era o verdadeiro, pois se tratava de uma brincadeira da produção do programa. Mas o carro real também ficou longe das expectativas da artesã. “Eu queria o vermelho, mas não com purpurina. E colocaram purpurina no carro. A roda era com a faixa branca, mas colocaram roda de Porsche. Não veio a peça para tirar o pneu. Veio sem buzina, sem alarme, trocaram o banco novo por um usado” revela Nancy.

Segundo ela o carro ainda foi mal pintado já que colocaram a tinta vermelha diretamente na antiga pintura do carro. E o mais importante é que o carro voltou com o mesmo problema de antes no motor. 

O caso está há quatro anos na justiça pois Nancy alega que a produção não cumpriu o combinado com ela: “Tanto que na hora que chegou o carro, eu falei ao meu marido que tinha alguma coisa errado. Esse não é o carro que eu pedi, falei a ele“.

Como o caso ainda não teve um desfecho na esfera judicial, a artesã é impedida de usar o carro.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Jean Marangoni

Influenciador digital responsável pelas páginas 'Mussum Sinceris' nas redes sociais, trabalho também com jornalismo online há 3 anos. Para sugestões entre em contato: jeanmarangoni@gmail.com