in

Mãe comove com desabafo: ‘Emagreci 20 kg na gravidez e os médicos não entendiam o motivo’

Foto: Reprodução / G1

A gravidez é sempre um momento de grande felicidade para a família. Esse era o sonho da professora Michelle Munhoz, de 32 anos. Ela desejava muito se tornar mãe e quando descobriu que estava esperando o primeiro filho ficou muito feliz com a notícia. Contudo, os meses da gravidez foram cercados de dificuldades e grande sofrimento.

Publicidade

A professora sentia dores terríveis pelo corpo, dificuldade respiratória e até mesmo não conseguia se locomover direito. Michelle passava a maior parte do tempo deitada e se ânimo algum. A educadora relatou que chegou a perder 20 quilos durante o período gestacional. A moradora de Arapongas, Paraná, disse que chegou a procurar por vários médicos na tentativa de descobrir o que havia de errado.

“Eles afirmavam que tudo isso tinha a ver com a gravidez”, desabafou a professora durante uma entrevista a BBC News Brasil. Os profissionais que atenderam Michelle sempre diziam que os problemas estariam relacionados com a gravidez e os sintomas seriam consequências de enjoos e depressão. A professora disse que pensou diversas vezes que se tratava de algo mais grave, porém sempre acreditava no que os médicos diziam.

Publicidade

O normal é que as gestantes ganhem peso durante esse período, principalmente após os primeiros três meses. A professora do departamento de ginecologia e obstetrícia da Universidade de São Paulo, Silvana Quintana, explicou que em algumas situações a gestante perde peso nesse primeiro trimestre. Essa primeira fase as mulheres passam por várias mudanças hormonais que podem provocar náuseas vômitos. Mas, tudo tende a se normalizar depois de passado esse período.

Publicidade

Michelle contou que fez o pré-natal e recebia acompanhamento médico, mas sempre escutava que os problemas estariam relacionados a gestação. O bebê da educadora nasceu prematuro, pois ela estava muito fraca. Quando a criança nasceu ela sequer conseguia segurar o filho. Um mês depois, do nascimento, ela finalmente conseguiu o diagnóstico, era um linfoma de Hodgkin, um câncer no sistema linfático que já estava em estágio avançado.

Publicidade

O médico afirmou que era um milagre ela e o bebê estarem vivos. O câncer já estava em grau quatro, o mais grave. A professora fez o tratamento e conseguiu se recuperar. Ela acredita que tudo que passou serve de alerta para outras pessoas, pois é preciso buscar respostas quando o corpo não está agindo de forma correta.

Publicidade
Destaque: Mulher quase é presa por emagrecer demais! Confira
Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.