SBT é punido pela Justiça após praticar conduta discriminatória contra uma deficiente

PUBLICIDADE

O SBT se envolveu em uma polêmica com a Justiça por conta de uma conduta considerada discriminatória contra uma mulher cadeirante. O episódio aconteceu em decorrência do programa Roda a Roda, patrocinado pela Jequiti Cosméticos, que convida os consultores a participarem da atração televisiva sob a expectativa de ganharem prêmios em dinheiro.

PUBLICIDADE

Logo na chegada aos estúdios da emissora paulista, a mulher, consultora da marca que foi sorteada para participar da atração, teve sua entrada barrada. Alegou-se que o local não dispunha de estrutura adequada para acolher uma pessoa em situação de cadeira de rodas.

Apesar dos imprevistos, a mulher conseguiu adentrar, mas logo veio outra surpresa. O palco do Roda a Roda, da mesma maneira, não tinha rampas de acesso para cadeirantes, o que tornava impossível a sua participação. Por conta disso, ela precisou de uma procuração indicando um representante para participar do programa em seu lugar.

O episódio foi considerado pela 22ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo como uma discriminação contra a mulher. Foi imposta uma indenização no valor de R$ 30 mil para a cadeirante, que além de ser impedida de participar do programa, foi alocada junto a plateia, em local também impróprio, sem condições de acomodar adequadamente um deficiente físico.

Em sua defesa, o SBT informou que suas instalações estão dentro das normas exigidas pelo Corpo de Bombeiros do estado de São Paulo e pela Associação Brasileira de Normas Técnicas
(ABNT). Além disso, informou que a mulher foi impedida de subir ao palco por motivos de segurança.

PUBLICIDADE