in

Caso Ágatha: após morte de criança, PMs vão ao hospital tentar tirar bala

Fotomontagem: Bruno Avila / Jornal Rondônia / Reprodução: G1

O caso de Ágatha ainda vem repercutindo. A criança de apenas 8 anos foi morta no Complexo do Alemão. Segundo a Polícia Militar, estava tendo uma troca de tiros e não é possível afirmar quem matou a jovem.

Publicidade

Entretanto, moradores da região contam que não tinha troca de tiros e que foi um policial militar que matou a jovem. Este teria tentado acertar um motociclista, mas errou a mira e acertou a van em que estava a criança dentro.

Encaminhada para o hospital, Ágatha não sobreviveu e hoje se tornou um símbolo de luta para aqueles que são contra invasões da Polícia Militar em favelas da cidade do Rio de Janeiro.

Publicidade

PMs vão ao hospital 

O que a investigação tem divulgado é que um grupo de policiais militares teriam tentado fazer uma alteração das provas  no caso da menina no hospital em que ela estava internada.

Publicidade

Gosta de música? Ouça clássicos das décadas de 70, 80 e 90 agora mesmo | CLIQUE AQUI

Publicidade

Os PMs tentaram tirar o fragmento de bala que estava no hospital em que q jovem menina está internada, para assim a Perícia não descobrisse que a munição teria vindo do fuzil de um dos policiais presentes na operação.

Publicidade

A informação foi confirmada pela equipe médica, que afirmou ter protegido e não entregado o fragmento de bala aos policiais.

Conclusão de Perícia

Sobre o fragmento de bala encontrado no corpo de Ágatha, a Perícia concluiu que não é possível afirmar se este veio de um dos fuzis dos policiais militares, pois somente uma parte foi encontrado e não permite chegar a uma conclusão.

A Polícia Civil do Rio de Janeiro quer que a equipe médica presente naquele momento deponha para confirmar oficialmente a acusação contra os policiais.

Publicidade

Escrito por Bruno Avila

Redator de futebol, política e famosos desde 2016. Hoje um dos redatores mais lidos do 1News Brasil. Fique à vontade para falar comigo: brunoavilaprof@outlook.com