in

Conheça o ‘PM youtuber’ que atacou rapaz enquanto Ágatha era enterrada

Reprodução: Instagram Gabriel Gomes

Durante o enterro da menina Agatha Félix de oito anos no último domingo (22), outra cena lamentável acabou chamando a atenção da população do Rio de Janeiro. Em meio à gravação de um vídeo para o canal do youtuber Gabriel Monteiro, o qual entrevistava ao vivo um membro do movimento Marcha das Favelas, Felipe Gomes. Na ocasião durante o vídeo ambos acabaram se desentendendo e começaram a discutir.

Publicidade

Durante o clima tenso e debate de acusações, o youtuber agrediu Felipe com um soco no rosto as imagens acabaram se espalhando rapidamente pela internet. Por meio do seu canal no Youtube, Gabriel publicou uma versão mais detalhada das imagens – diferente daquela que anda circulando pelas redes sociais.

Na nova versão, as imagens mostram que a vítima Felipe Gomes tenta intimidar o PM e em tom de voz alta quando Gabriel começa a comparar o número de pessoas mortas no estado do Rio de Janeiro com apreensões de fuzis.

Publicidade

Vale ressaltar ainda que a cerca de um mês atrás, Gabriel foi expulso da Policia Militar do Rio de Janeiro, por conta de “desobediência hierárquica”. Na ocasião, ele foi denunciado por um comandante no Batalhão no qual atuava. Após a denúncia o soldado foi retirado das ruas e perdeu o direito de portar armas.

Publicidade

No entanto o processo foi indeferido pelo secretário da PM do Rio de Janeiro, Rogério Figueiredo. Hoje Gabriel atua como assessor do deputado estadual Filippe Poubel (DEM).

Publicidade

Ele também se posiciona a favor da política antidrogas adotada pelo governador Wilson Witzel (PSC) e apoia à política do governador em relação ao combate a criminalidade na cidade do Rio de Janeiro.

Em uma de suas postagens recentes Gabriel escreveu o seguinte: “Antes vagabundos mortos do que nossos heróis feridos”, a publicação foi feita depois que um adolescente de 15 anos morreu durante uma operação da PM na favela do Jacarezinho.

Publicidade
Publicidade
Publicidade