in

Enterro de ex-jogador da Seleção reúne apenas 18 pessoas

Globo esporte

O ex-jogador Altair Gomes de Figueiredo, 81 anos, conhecido apenas como Altair, foi enterrado esta tarde no Cemitério de Maruí, subúrbio de Niterói (RJ). Ele faleceu no Hospital das Clínicas de São Gonçalo na madrugada desta sexta-feira (09/08), após sofrer falência múltipla dos órgãos. Portador de Mal de Alzheimer, Altair sofria com as complicações da doença desde 2013.

Publicidade

Foi no Fluminense que o ex-jogador, que atuava como lateral-esquerdo, consolidou sua carreira. Altair jogou em 551 partidas pelo clube entre 1955/1971, ficando em quarta posição entre os jogadores que mais atuaram pelo tricolor das Laranjeiras. Porém, o clube não mandou nenhum representante comparecer ao funeral ou enviou coroa de flores, limitando-se a postar uma nota de falecimento no site.

Amizade de longa data e Alzheimer 

Altair também atuou pela Seleção e estava no elenco campeão da Copa do Mundo 1962, no Chile, como reserva do jogador Nilton Santos. O grande amigo e companheiro de Fluminense, Marinho, que atuou como lateral-direito na seleção no mundial de 1962, foi um das poucos colegas de profissão a prestar as últimas homenagens. “O Magro vai descansar agora. Estamos juntos há mais de 60 anos. O que vale é lembrar da vida com alegria”, disse Marinho sobre o falecido amigo. No total, apenas 18 pessoas comparecerem ao sepultamento. 

Publicidade

Sobre a doença do amigo, Marinho revelou ter tomado um grande susto durante a Copa das Confederações, em 2013. Ele e Altair foram juntos acompanhar os jogos em Brasília, relembrando os tempos em que dividiam alojamento no Fluminense. Altair disse que iria até a portaria do hotel, mas demorou mais de uma hora para retornar ao quarto. Preocupado, Marinho foi procurar o amigo, mas não encontrou. Ele só foi localizado pela polícia tarde da noite, vagando pelas ruas da capital federal. A familia já havia notado que ele esquecia das coisas com frequência, e o diagnóstico de Mal de Alzheimer foi dado logo após o incidente.

Publicidade

CBF se manifesta

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) se manifestou sobre a morte o ex-jogador, hasteando as bandeiras da sede a meio mastro e determinando um minuto de silêncio em todos os jogos da próxima rodada do Campeonato Brasileiro. A entidade também enviou uma cora de flores para o velório de Altair.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade