in

‘Se eu tivesse armado, teria atirado’, diz Bolsonaro sobre ataque no Rio

Estadão

Em entrevista cedida ao canal de YouTube da jornalista Leda Nagle, o presidente Jair Bolsonaro comentou sobre o atentado à faca que vitimou duas pessoas no Rio de Janeiro há uma semana.

Publicidade

Se eu tivesse armado ali, teria atirado naquele cara. O próprio policial que chegou ali depois atirou na perna. Tinha que ter atirado no meio dele, pô. A gente vê devez em quando o cara que leva tiro na perna e reage ainda. Você agindo dessa maneira e o policial tendo a garantia de que não vai ser preso, não vai responder processo, o bandido pensa duas vezes antes de fazer besteira”, disparou o presidente, defensor da liberação do porte de arma e do excludente de ilicitude.

A entrevista foi gravada no Palácio do Planalto na última sexta-feira (02/08) e disponibilizada no canal da jornalista esta manhã. Esta não é a primeira vez que Bolsonaro usa o caso para defender o porte de armas. Na semana passada o presidente tocou no assunto durante um live, onde questionou se não havia alguém armado próximo da cena do crime.

Publicidade

Entenda o caso 

No dia 28/07, um morador de rua, posteriormente identificado como Plácido Correa de Moura, 44, abordou um carro em que estavam o engenheiro João Napoli e desferiu golpes de faca na vítima, que faleceu no local. Marcelo Henrique Reis passava no local no momento do ataque e tentou ajudar, mas também foi golpeado fatalmente. O crime aconteceu nas proximidades da Lagoa Rodrigo de Freitas, zona sul do Rio.

Publicidade

João Napoli trabalhava como supervisor de projetos na Rede Globo e recebeu homenagens emocionadas dos colegas, entre eles Patrícia Poeta e Ana Maria Braga.

Publicidade
Publicidade
Publicidade