in

Grávida toma um litro de whisky, entra em trabalho de parto e bebê nasce embriagado

Divulgação/Bebemamãe

Para ter uma gestação saudável é fundamental que as mulheres sigam algumas orientações dos médicos. Por esse motivo, é tão importante a realização do pré-natal, que é o acompanhamento mensal realizado pelas grávidas.

Publicidade

Algumas coisas precisam ser evitadas durante o período para garantir a saúde da criança e também da futura mamãe.

No entanto, algumas mulheres ignoram as orientações e colocam a vida do bebê em risco. Bebidas que tenham álcool, drogas e até mesmo alguns tipos de medicação não devem ser usados durante a gravidez.

Publicidade

Uma bebezinha recém-nascida nasceu embriagada e morreu horas depois. A mãe bebeu um litro de whisky e a criança nasceu sob efeito de álcool.

Publicidade

Rianna Marie Cameron estava 34ª semana de gravidez quando entrou em trabalho de parto. Além da grande quantidade de bebida alcoólica ingerida no dia, a mãe teria passado a maior parte da gravidez sob alcoolizada.

Publicidade

O caso aconteceu nos Estados Unidos, local onde Rianna mora. Infelizmente, a mulher já tem um histórico de alcoolismo que é conhecido pela polícia local. Inclusive, ela teria sido orientada a buscar ajuda, porém ignorou e como consequência acabou tendo o parto prematuro.

 A pequena veio ao mundo com 34 semanas de gestação, em um parto que ocorreu dentro de casa, ou seja, ela não teve nenhuma assistência. Quando a ajuda chegou ao local, os paramédicos já não tinham mais o que fazer, pois a garotinha já não estava mais respirando.

A recém-nascida chegou a ser socorrida e encaminhada para o hospital, mas infelizmente não conseguiu resistir e morreu.

A criança foi submetida a exames depois que morreu e ficou constatado que a bebê nasceu com alto nível de álcool no sangue. Segundo os médicos, a criança morreu por causa da combinação do grande nível de álcool em seu organismo e do parto sem assistência. Na última sexta-feira, 26 de julho, foi revelado que Rianna vai responder pelo homicídio da filha. Atualmente, a mulher aguarda o julgamento.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Shyrlene Souza

Redatora na web desde 2016, formada em ciências contábeis, apaixonada pela redação desde criança. Escrevo sobre assuntos diversos, famosos, maternidade e notícias que se destacam no Brasil e no mundo.