in

Bastidores do Tri Mundial do São Paulo em 2005: relembre

Torcedores.com

O São Paulo se credenciou para o Mundial de 2005 após conquistar a Copa Libertadores da América naquele ano. O time venceu o Athletico Paranaense na final. No primeiro jogo, empate em Curitiba por 1 a 1. No segundo jogo, goleada do tricolor paulista por 4 a 0 e festa no Morumbi.

Publicidade

Na viagem para o Japão, Marco Aurélio Cunha, então dirigente do tricolor, teve uma brilhante ideia, levar o multicampeão pelo clube, Raí. O ex-jogador fez parte da delegação tricolor e até treinou com a equipe em alguns momentos

A torcida são-paulina fez uma enorme festa para o time, aeroporto lotado e cânticos de apoio foram a tônica naquele dia. A torcida gritou o nome de cada jogador no saguão e os atletas disseram que aquilo foi algo que deu muita força para a caminhada ao Tri.

Publicidade

Polêmica 1

Publicidade

Antes da viagem, uma grande polêmica envolveu o atacante Amoroso. Foi noticiado que o jogador tinha um pré-contrato com um clube japonês, fato que foi confirmado pelo próprio atacante dias depois. Porém, após o título mundial, o São Paulo se antecipou e renovou com o jogador. Situação que aborreceu o time japonês, pois alegou que o atleta só assinou um pré-contrato para pressionar o São Paulo a renovar com ele.

Publicidade

Polêmica 2

Chegando em Tókio, outra polêmica: a premiação. A mídia divulgou que, caso fossem campeões, os jogadores são-paulinos teriam uma premiação milionária, situação que incomodou alguns jogadores, pois boatos também afirmavam que os atletas sabiam que o clube não teria tanto dinheiro e a equipe estava dividida.

Foi em meio a esse cenário conturbado que o São Paulo entrou em campo para a semifinal. O jogo contra o Al-Ittihad aconteceu dia 14 de dezembro, apesar do susto, vitória tricolor, com gols de Amoroso (2) e Rogério Ceni. Após a partida, os jogadores decidiram não falar com a imprensa em repúdio ao que tinha sido circulado sobre a premiação da equipe.

A conquista

Antes da final, o São Paulo analisou o time do Liverpool e os números eram impressionantes. A equipe inglesa tinha vencido seu jogo na semifinal por 3 a 0 do Deportivo Saprissa e estava há 11 jogos sem levar gol. Nos momentos que antecederam a partida, no vestiário, Rogério Ceni frisa que a bola parada é o ponto forte do Liverpool, pediu atenção e que o time permanecesse equilibrado. Num jogo recheado de tensão, o Liverpool até que tentou e pressionou bastante a equipe brasileira, tendo 3 gols anulados, mas o gol de Mineiro no 1º tempo deu a vitória ao São Paulo, com Rogério Ceni fazendo pelo menos 4 defesas difíceis e sendo eleito o melhor jogador da partida e melhor jogador da competição.
O São Paulo sagrava-se Tricampeão Mundial.

Na volta para o Brasil, o avião que trouxe a delegação era só festa. Na chegada em São Paulo, Guarulhos, estima-se que 5 mil pessoas estavam presentes para receber os campeões. A equipe desfilou num trio elétrico do Aeroporto até o Estádio do Morumbi, seguidos a pé pelos torcedores fanáticos. O time parou apenas na Prefeitura e no Palácio dos Bandeirantes, onde foram recebidos pelo Prefeito e pelo Governador, respectivamente. No Morumbi, a festa foi completa com a taça de campeão do mundo e com direito à volta olímpica.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Fernando Goulart

Sou estudante de Direito e um apaixonado por escrever.