in

Mãe que não tinha como comprar um berço para seu bebê usa caixa plástica; foto viralizou

G1

A luta de uma mãe, Mayara de Oliveira Santos, de 24 anos, chamou a atenção dos internautas por causa de sua simplicidade. Desempregada, ela deu a luz à pequena Valentina, e como não teria condições para comprar um berço para a filha recém-nascida, improvisou um usando uma caixa plástica. 

Publicidade

Mayara limpou bem a caixa plástica e forrou com a melhor coberta que tinha em casa para receber a pequena garotinha, que está com 15 dias de vida. Mayara disse que não conta com a ajuda do pai da criança, e que as únicas pessoas que lhe ajudam são sua mãe e suas irmãs.

Para que a criança não ficasse sem um berço, ela decidiu pegar a caixa que seu padrasto usava para guardar as ferramentas, lavou bem e fez um bercinho improvisado para sua menina.

Publicidade

Mayara é moradora do Jardim Canguru, região da Periferia, e tem outro filho, um menino de 4 anos. Depois que a foto viralizou, um grupo de voluntárias postou, em um grupo do WhatsApp, a foto de Valentina dormindo na caixa plástica. Logo, Mayara ganhou um carrinho de bebê e algumas roupinhas.

Publicidade

Esse mesmo grupo formou a onda do bem que ajudou o pedreiro Wesley de Oliveira Torres, de 27 anos, que é morador da Comunidade Bom Retiro, e que também não tinha condições de comprar um berço para seu filho, então, colocou o menino para dormir no carrinho de pedreiro forrado com cobertas.

Publicidade

Depois da foto, a esposa de Wesley, que tem 16 anos, recebeu um carrinho que foi doado para Luan. Wesley também leva uma vida difícil e contou que Luan dormia na cama com ele e a esposa, mas os dois não podiam dormir tranquilos com medo de machucar o bebê.

Wesley teve que abrir mão do emprego por um tempo já que  carrinho estava sendo usado pelo filho. Ele não podia trabalhar para evitar que o carrinho de mão ficasse com o cheiro forte do cimento, isso poderia prejudicar a saúde do pequeno Luan.

Durante o dia, ele emprestava o carrinho para outras pessoas da comunidade que tem crianças. Wesley contou que a vida na comunidade é muito difícil e emprestar o carrinho para outros pais é uma forma de fazer a alegria da garotada que não tem onde se divertir. A noite o carrinho sempre voltava, pois já teria outra finalidade.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Cláudia

Claudinha