in

Morte do menino Rhuan Maycon completa um mês e detalhes do crime chocaram até delegado

Arquivo pessoal / Polícia Civil DF

A morte de Rhuan Maycon, de apenas nove anos, é considerada por muitos como o crime mais bárbaro dos últimos tempos no Brasil. O garoto foi morto pela mãe e a companheira.

Publicidade

O crime ocorreu na cidade de Samambaia, no Distrito Federal, na madrugada de 1º junho, e chamou a atenção de muita gente pela forma cruel como foi executavo. Rhuan Maycon foi morto à sangue frio e sua morte chocou até o delegado Guilherme Sousa Melo, da 26ª Delegacia de Polícia.

Cerca de dois anos antes do crime, o menino teve o órgão genital arrancado. Segundo a mãe e a companheira dela, isso ocorreu porque ele disse que queria ser menina. O procedimento foi feito em casa, pelas duas.

Publicidade

Os detalhes da morte de Rhuan Maycon mostraram a crueldade das duas. “Fui bombeiro por 12 anos. Vi muita tragédia humana. Mas para casos envolvendo criança, a gente não é blindado”, comentou o delegado.

Publicidade

Ele lamentou o ocorrido e explicou que a mãe sentia ódio da criança. O delegado disse ainda que na vida policial viu muita coisa ruim e que o caso da morte de Rhuan Maycon foi a manifestação da natureza humana em seu mais brutal aspecto. Crimes como esse costumam chocar até os policiais mais experiente, acostumados a lidar com situações limite durante o dia a dia.

Publicidade

Rosana e Kacyla confessaram o crime bárbaro. As duas estão presas e não devem sair de lá tão cedo. Considerando tudo que fizeram contra a vida de Rhuan Maycon, a pena pode chegar a até 54 anos. Pela legislação brasileira, a condenação máxima é de 30 anos no país.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!