in

Mulheres que mataram Rhuan Maycon recebem duro castigo, e justiça não falha

Polícia Civil DF / Arquivo pessoal

Rhuan Maycon da Silva Castro, de nove anos, foi morto pela mãe, Rosana Auri da Silva Cândido, de 27, e pela madrasta, Kacyla Priscyla Santiago Damasceno, de 28. O crime chocante ocorreu na cidade de Samambaia do Norte, no Distrito Federal, no dia 31 de maio.

Publicidade

Nesta quarta-feira, as duas assassinas foram denunciadas pelo Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). Elas responderão por cinco crimes: fraude processual, ocultação e destruição do cadáver, tortura, lesão corporal gravíssima e homicídio qualificado.

O Ministério Público acatou a denúncia feita pela Polícia Civil em sua totalidade. O MP entendeu que as acusadas do assassinato, que já confessaram o crime, planejaram a morte de Rhuan Maycon e a destruição do corpo.

Publicidade

Os detalhes do crime já foram divulgados e são chocantes. Depois da morte, elas tentaram dificultar o trabalho dos investigadores ao destruir os corpos e limpar a cena do crime. Um ano antes do crime, as duas mutilaram a genitália do garoto em casa. Ele não foi encaminhado ao hospital depois do ocorrido e nem ia à escola.

Publicidade

Além das denúncias, o homicídio ainda ganha qualificadores já que a morte foi causada por motivo torpe, não houve possibilidade de defesa da vítima, que estava dormindo quando tudo começou, e houve emprego de meio cruel.

Publicidade

O corpo de Rhuan Maycon foi enterrado na cidade de Rio Branco, capital do Acre, onde mora o seu pai, Maycon Douglas. As famílias paterna e materna compareceram ao velório da criança de nove anos e o sentimento era de total consternação.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!