in

Menino morto pela mãe e companheira teve órgão retirado em casa: ‘queria ser menina’

Walder Galvão

A morte do garoto Rhuan Maycon, de apenas nove anos, está repercutindo em todo o Brasil. Sua mãe, Rosana Auri da Silva Candido, de 27 anos, e a companheira dela, Kacyla Priscyla Santiago Damasceno, de 28, estão presas preventivamente acusadas de terem matado e esquartejado o garoto.

Publicidade

Eles moravam em Sambaia, no Distrito Federal. Junto com eles morava também a filha de Kacyla, uma menina de apenas oito anos que foi encaminhada a um abrigo da cidade.

Rosana e Kacyla fugiram do Acre, em 2014, com seus filhos, sem que os pais soubessem. Antes de chegar ao Distrito Federal, passararm por endereços em Goiás e Sergipe.

Publicidade

A morte, em si só, já causou grande revolta. Mas outra informação relacionada ao menino também está causando náuseas em muita gente. Rhuan teve o órgão genital arrancado pela mãe e pela companheira dela há um ano.

Publicidade

O procedimento foi feito em casa e Rhuan nunca foi a uma unidade de saúde. O menino também era impedido de ir à escola. À polícia, as acusadas contaram que o menino queria ser uma garota e por isso o mutilaram em casa.

Publicidade

O pai da menina viajou do Acre para o Distrito Federal, chegou à capital do país no domingo (2) e se dirigiu à delegacia para conversar com o delegado sobre o caso. A menina estava no Conselho Tutelar. Ela chegou ao local machucada e faminta.

Embora a situação seja degradante, ela terá a chance de recomeçar a vida ao lado do pai e da família que ama e estava sem notícias desde 2014. Seu irmão de criação não teve a mesma, digamos, sorte e foi morto de forma bárbara.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!