in

Confronto, incêndio e correria: manifestação termina da pior forma possível no RJ

TV Globo

A quarta-feira (15) foi marcada por protestos em todo o Brasil contra os cortes do Ministério da Educação (MEC) nas universidades federais. No Rio de Janeiro, o protesto que caminhava para ser pacífico terminou com confusão entre manifestantes e a polícia e um ônibus foi incendiado.

Publicidade

De acordo com os organizadores, 200 mil pessoas compareceram às manifestações na Cidade Maravilhosa. Os manifestantes marcharam pela avenida Presidente Vargas, no centro, Candelária e estação Central do Brasil.

O confronto aconteceu por volta das 19h20, próximo ao Campo de Santana, quando o ato convocado por centrais sindicais, partidos de esquerda e organizações estudantis começava a dispersar.

Publicidade

Segundo os policiais, manifestantes lançaram rojões e fogos de artifício contra eles, que reagiram ao ataque e jogaram bomba. Os manifestantes incendiaram um ônibus durante a confusão.

Publicidade

Cerca de nove viaturas do Batalhão do Choque se encaminharam à avenida Presidente Vargas para conter o tumulto. O ônibus que foi incendiado ficou totalmente destruído.

Publicidade

As manifestações contra o corte do MEC foram realizadas em todo o Brasil. As maiores, de acordo com as estimativas dos organizadores, aconteceram em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

Nos Estados Unidos, o presidente Jair Bolsonaro criticou os manifestantes e os chamou de “idiotas úteis”. A fala do presidente não foi bem recebida pelas lideranças das manifestações nem pelos manifestantes, que o criticaram. Palavras de ordem foram entoadas contra Bolsonaro durante o protesto.

Publicidade
Destaque: Mulher quase é presa por emagrecer demais! Confira
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!