in

Caso Eduarda: laudo final do IML revela causa da morte da garota de 11 anos

Facebook / Eduarda Shigematsu

A morte da garota Eduarda Shigematsu, de 11 anos, na cidade de Rolândia, Região Metropolitana de Londrina, no Paraná, teve repercussão nacional e os detalhes do caso são chocantes. O pai e a avó de Eduarda estão presos, suspeitos de terem matado a menina.

Publicidade

Os detalhes desse crime que está mexendo com o estado do Paraná e com o Brasil, mostram que a menina morreu no domingo (28). No mesmo dia, o pai dela, Ricardo Seidi, foi preso. Em depoimento à polícia, ele confessou ter cometido o crime e enterrado o corpo da filha no quintal de um imóvel abandonado.

O corpo de Eduarda foi encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) e a Polícia Civil, responsável pela investigação, aguardava o resultado do laudo oficial para saber exatamente o motivo da morte da menina de 11 anos.

Publicidade

O laudo final divulgado pelo IML mostra que Eduarda foi morta por asfixia mecânica por esganadura. Isso significa que alguém enforcou a garota até que ela morresse. Concluído que foi o próprio pai quem cometeu o crime bárbaro, com a ajuda da avó, a situação fica ainda mais triste.

Publicidade

Diante do laudo final do IML e da confissão de Seidi de ter enterrado o corpo, o delegado Jorge Pereira, da 22ª Subdivisão Policial de Arapongas, pediu a prisão temporária de Seidi pelo crime de homicídio qualificado.

Publicidade

A morte de Eduarda teve grande repercussão nas redes sociais e o pai e avó paterna da menina estão sendo atacados a partir das informações que foram divulgadas até o momento. Muitos internautas estão revoltados com a frieza empregada no crime que abalou o Paraná.

Publicidade
Destaque: Mulher quase é presa por emagrecer demais! Confira
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!