in

Bolsonaro altera Lei Rouanet e artistas da Globo se desesperam: ‘a cultura vai parar’

Mandel Ngan/AFP / Jornal O Sul / Logo Globo

O presidente da República, Jair Messias Bolsonaro, anunciou algumas mudanças na Lei de Incentivo a Cultura, que levava o nome de Lei Rouanet. Agora, a Lei Rouanet ‘acaba’, pois não terá mais este nome que ficou tão impopular no país após algumas polêmicas.

Publicidade

A mudanças afetarão a forma como os incentivos são distribuídos. Antigamente, existia o teto de R$ 60 milhões por captações, mas o presidente, através do Ministério da Cidadania, reduz este número para R$ 1 milhão. A intenção agora, segundo Bolsonaro, é auxiliar artistas de pequeno porte.

Alguns artistas se manifestaram contra o fim da Lei Rouanet e mostraram total indignação, como foi o caso da atriz Ingrid Guimarães, da Rede Globo de Televisão, que afirmou que a população sentiria a falta da Lei Rouanet e que ‘a cultura no Brasil vai parar’.

Publicidade

Entretanto, Ingrid também reconheceu que artistas pequenos eram prejudicados pela legislação antiga da Lei Rouanet, mas quer que a Lei de Incentivo a Cultura continue no país.

Publicidade

O artista, também global, Miguel Falabella resolveu se pronunciar sobre o assunto também e saiu em defesa da manutenção da Lei Rouanet pelo Governo Federal: “as pessoas ficam falando besteira da Lei Rouanet. Tem coisas erradas? Tem sim, mas como um todo, é uma m*? Não é, não. Bem usada, ela é maravilhosa, 10% dos ingressos são destinados a pessoas que jamais foram ao teatro“.

Publicidade

Apoiadores de Jair Bolsonaro já esperavam esta medida, até porque o presidente, logo que assumiu, já mudou o Ministério da Cultura para uma pasta no Ministério da Cidadania.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Bruno Avila

Redator de futebol, política e famosos desde 2016. Hoje um dos redatores mais lidos do 1News Brasil. Fique à vontade para falar comigo: brunoavilaprof@outlook.com