in

Ministro da Justiça se volta contra o STF e toma atitude histórica

Divulgação/Governo de transição

O STF (Supremo Tribunal Federal) é a entidade máxima da Justiça no Brasil. No entanto, raramente um integrante do Governo Federal critica a entidade, até porque é o próprio que indica os que estão lá. Entretanto, no governo atual do presidente Jair Messias Bolsonaro, nenhum dos ministros do STF foram indicados por eles.

Publicidade

Uma polêmica muito grande ficou entorno do STF nos últimos dias. O ministro Dias Toffoli censurou a revista Crusoé por conta de uma reportagem que apresentava um trecho de uma delação premiada de Marcelo Odebrecht, em que o citava como ”amigo do amigo do meu pai”.

O ministro do STF classificou como ‘fake news’ e logo em seguida, após a repercussão negativa, o também ministro do STF, Alexandre de Moraes determinou que o WhatsApp bloqueasse as contas de quem estava criticando e difamando a entidade máxima da Justiça nacional.

Publicidade

O ministro da Justiça, Sérgio Moro tomou uma atitude histórica ao se pronunciar sobre o assunto e, ainda por cima, se voltar contar o STF. “A posição minha, pessoal, sempre foi pautada pela liberdade de expressão“, opinou o ex-juiz federal.

Publicidade

Mas no começo, Moro aliviou a opinião que viria em seguida com: “Essa é uma questão que está com o Supremo, espero que o Supremo resolva“. A notícia vem repercutindo muito e boa parte está opinando contra o STF.

Publicidade

A posição do ministro da Justiça foi dada em um evento que aconteceu em Porto Velho. O site O Antagonista replicou e a atitude histórica de Moro erepercute positivamente entre a direita política, que o vê como um símbolo de combate a corrupção.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Bruno Avila

Redator de futebol, política e famosos desde 2016. Hoje um dos redatores mais lidos do 1News Brasil. Fique à vontade para falar comigo: brunoavilaprof@outlook.com