in

Karina perdeu o emprego e sofreu bullying por causa de doença rara, mas vira exemplo

Instagram Karina Rodini

A jovem paulistana Karina Rodini, de 28 anos, é uma jovem que adora se socializar com sua família e amigos, se divertir ao ar livre, e testar diferentes técnicas de maquiagem.

Publicidade

Embora aparente ter uma vida comum, as coisas para ela não são tão fáceis. A mulher possui uma doença muito rara, que promove o surgimento de tumores em suas pernas, os quais, pelo tamanho, acabam dificultando muito com que ela possa andar.

Entretanto, essa situação não serve de desânimo para a jovem. Pelo contrário, ela sempre mostrou-se determinada em sua busca para encontrar um emprego.

Publicidade

View this post on Instagram

Boa tarde,hoje resolvi fazer um vídeo para mostrar um pouco mais dessa doença. Não é nada fácil conviver com ela,mais aos poucos tudo se ajeita,hoje fazem 2 meses e 7 dias que fiz uma cirurgia,foi retirado aproximado 1kg de tumor. Sempre é retirado muito pouco devido a muitos vasos sanguíneos e a perda de sangue. Estou em campanha para me consultar com especialistas e ter uma vida melhor. #neurofibromatosis #neurofibromatose #neurofibroma #neurocirurgia #neurologia #neurofibromatosetyp1 #ortopedia #ortopedista #dermatologista #doencasraras #tumores #cirurgia #cirurgiaplastica #vakinha #vakinhaonline #vakinhavirtual #doacoes #endnf #brasil #ministeriopublico #ministeriodasaude

A post shared by Superando a Neurofibromatose (@superandoaneurofibromatose) on

Publicidade

Ela conta que, durante muito tempo, deixou-se vencer pela doença, a qual passou a ocupar praticamente toda a sua vida, passando por um difícil estágio de depressão.

Publicidade

Entretanto, depois disso, ela decidiu mudar radicalmente de vida, e hoje se recusa a esconder a sua situação das demais pessoas, servindo como um grande exemplo de luta e determinação.

Ela foi diagnosticada com neurofibromatose tipo 1, ou NF1 quando tinha dois anos de idade. Entretanto, a doença só começou a se manifestar em sua adolescência, fazendo com que ela começasse a sofrer a formação dos tumores em suas pernas.

De acordo com Karina, no início alguns colegas foram bastante gentis. Outros, porém, decidiram praticar bullying, fazendo com que ela sofresse muita exclusão e preconceito por 15 anos.

Hoje, os tumores pesam cerca de 40 quilos, e mesmo ela tendo passado por 7 cirurgias para a retirada, eles continuam a crescer, Em cada procedimento, ela pode retirar apenas dois quilos de massa, pois perde muito sangue. 

Ela acabou sendo demitida de seu último emprego, em decorrência de excessivas saídas para consultas médicas que precisou passar. Hoje, porém, ela luta para conseguir uma nova atividade.

Exemplo de superação, Karina não se deixa abater e leva uma vida bastante ativa. A jovem conta que essa mudança de postura em sua vida foi indispensável para que ela se sentisse melhor.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Henrique Furtado

Henrique Furtado é um redator com vasta experiência no jornalismo online. Solidificou sua carreira com coberturas marcantes sobre os principais acontecimentos no Brasil e no mundo ao longo da última década. Suas especialidades englobam desde os bastidores da política, versando por esportes, atualidades e, claro, tudo o que acontece no mundo dos famosos. Está sempre ligado para entregar, em primeira mão, as últimas novidades para os seus leitores, 24 horas por dia, 7 dias por semana, 365 dias por ano.

Contato: henriquefurtado.jornalista@gmail.com