in

Seus filhos estão protegidos? Saiba como impedir que eles se tornem as próximas vítimas da Momo

Divulgação/Palawan News

Originalmente, Momo é uma escultura criada pelo artista, Keisu Aiso. O artista acabou ganhando uma má fama nas redes sociais por causa de sua obra e por isso, resolveu destruir sua criação.

Publicidade

Keisu criou sua obra de arte, Momo, no ano de 2016, no Japão. A escultura era vista como uma ‘Mulher Pássaro’, que possuia o corpo e os pés de pássaro e uma cabeça de aparência feminina. 

Certamente, você já ouviu falar no desafio da Momo, assunto amplamente divulgado nos últimos dias, uma vez que crianças e adolescentes estariam sendo abordadas nas redes sociais pela ‘criatura’.

Publicidade

Primeiramente, Momo ganha a confiança dos pequenos. Em seguida, começam as ameaças, deixando os mesmos apavorados ao dar indícios de que conhece os familiares e o local onde a vítima mora. A partir daí, Momo começa a instruí-los a uma série de desafios perversos, que incluem altomutilação, assassinato e até mesmo o suicídio. 

Publicidade

Vivendo na era da Internet, sendo realidade ou não, a atenção e cuidado dos pais com os filhos se faz verdadeiramente necessária. Para ajudar neste contexto, confira algumas práticas que podem ajudar em muitos desses casos:

Publicidade

Diálogar constantemente: sempre que tiver um tempinho, converse com seu filho. É bom você ter a confiança dele para que ele possa se abrir com você sobre tudo. Alerte-o sobre os perigos de conversar e dar ‘brechas’ para desconhecidos nas redes sociais. 

Tenha mais cautela e segurança: não incentive seus filhos muito cedo a frequentarem as redes sociais. Pois, o melhor da vida ainda se encontra fora da Internet. 


Supervisionar:
tente monitorar sua criança quando ela estiver conectada a Internet. Se possível, deixe-a em um cômodo da casa onde ela possa ser vista da maneira mais fácil possível. 

Supervisionar virtualmente: procure verificar o histórico de navegação, sites e links visitados, solicitações de amizade, mensagens trocadas, arquivos recebidos, entre outros. Embora pareça invasão de privacidade (e talvez seja mesmo), quem ama cuida, e nestes casos é melhor prevenir do que remediar. 


Controle de senhas:
tente convencer seu filho a te passar a senha dele. Dependendo da idade será um pouco complicado, pois os adolescentes preferem privacidade. Mas nada que uma boa conversa não resolva. Passe confiança para que com isso, você não só tenha acesso as redes sociais dele, como também à rotina diária.  

Ainda assim, mesmo que consiga realizar todas as dicas acima, não é garantido que seu filho estará 100% seguro, contudo, já é alguma coisa. E, se tratando do bem mais precioso dos pais, todo cuidado é pouco. Portanto, esteja sempre atento(a).

Publicidade
Publicidade

Escrito por Matheus Dayrell

Sócio-fundador do i7 Network. Tenho a profissão de jornalismo como uma paixão e estou sempre em busca de constantes melhorias nos conteúdos que escrevo, estando eles, principalmente, entretenimento, esportes e curiosidades. Meu contato: mdayrell07@gmail.com