in

Ex-segurança de Bolsonaro é alvo de atentado a tiros: ‘Ele sabia que ia morrer’

O sargento do Corpo de Bombeiros Ronald Generoso trocou tiros com criminosos na Baixada Fluminense, no Rio de Janeiro. Ronald trabalha como segurança de políticos há mais de uma década. Entre eles, destaca-se o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. O episódio ocorreu nesta sexta-feira, 29 de março, em Nilópolis. 

Publicidade

De acordo com informações do jornal carioca O Globo, o segurança estava sozinho próximo à uma estação de trem, quando dois carros o encurralaram. De cada um deles, desceu um homem armado e, a partir daí, o sargento já tinha praticamente certeza que iria morrer, como mostra o seu depoimento dado à publicação. 

Generoso também é assessor do deputado estadual Rodrigo Amorim, do PSL. O deputado deu outros detalhes sobre a ação, surpreendendo com as afirmações que fez:

Publicidade

“— Ele sabia que ia morrer e, por isso, abriu fogo. Disparou antes dos caras, de dentro do carro mesmo. Teve muita troca de tiros. O Ronald descarregou todos os doze tiros da pistola dele e conseguiu sair sem ferimento”, explicou ele. 

Publicidade

O carro onde o sargento estava não era brindado. O que ajudou a salvar a vida dele foi sua ação rápida diante da situação. O deputado Rodrigo Amorim ainda falou um pouco sobre as linhas de investigação do caso. Uma delas é a de execução. 

Publicidade

“Existem algumas linhas de investigação. A primeira: uma tentativa de assalto frustrada. A segunda: uma tentativa de execução”, explicou o deputado. 

Apesar do susto, o sargento está bem. O presidente do Brasil não comentou o atentado contra Generoso, mas o fato repercutiu bastante na mídia. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por FERNANDO B

As melhores notícias você encontra por aqui. Conheça essas e outras histórias.