in

Urgente! Massacre terrorista no Mali mata cerca de 110 pastores de etnia fulani

G1/ Montagem Rômulo Nogueira

A região central de Mali viveu uma de suas piores tragédias neste sábado (23). Homens armados fizeram um verdadeiro massacre, matando cerca de 110 pastores da etnia fulani.

Publicidade

As informações sobre o ataque, um dos mais letais em uma região que sofre com uma violência étnica e jihadista, foi dada pelo prefeito da cidade.

O ataque a Vila Ogassagou aconteceu depois de uma missão realizada pelo Conselho de Segurança da ONU, que visou encontrar soluções para as violências que mataram centenas de pessoas no ano passado, e vem se espalhando pela região de Sahel, no oeste da África.

Publicidade

O prefeito de Bankass, cidade próxima, Moulaye Guindo, alegou que vários homens armados, vestidos com roupas de caçadores Donzo, cercaram a cidade de Ogassagou e atacaram sem piedade. Em entrevista à Reuters, o político disse que havia muitos mortos. Logo em seguida, ele complementou dizendo que, a vila atingida está arrasada pelo massacre.

Publicidade

Um dos moradores da vila onde aconteceu o massacre, que pediu para não ser identificado pela reportagem, revelou que o ataque teria sido motivado por uma retaliação à reivindicação que vem sendo feita por parte da Al Qaeda. Segundo ele, na última sexta-feira, 23 soldados foram mortos.

Publicidade

O grupo se pronunciou dizendo que a retaliação aconteceu por conta da violência do exército de Mali e milicianos contra os fulani. Grupos jihadistas que supostamente estariam ligados a à Al Qaeda e ao Estado Islâmico, estariam explorando rivalidades étnicas em Mali e nas vizinhas Burkina Faso e Níger, na intenção de conseguir reforçar o recrutamento, tornando vastas áreas de territórios que são virtualmente ingovernáveis.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Rômulo NC

Ator, youtuber e redator, Rômulo N.C é formado pela casa de artes cênicas Recriarte e sempre atuou como escritor de diversos sites.