in

Antibióticos, anti-inflamatórios e analgésicos: entenda a diferença entre eles

MD saúde

Talvez porque eles tenham categorias com nomes tão parecidos, muita gente confunde e acaba tomando um pelo outro. Mas na verdade, são drogas bem distintas entre si, cada uma tem seu próprio uso e aplicação, e o correto é não confundir essa distinção.

Publicidade

Antibióticos e anti-inflamatórios possuem ação e mecanismos diferentes, cada um tem seu próprio fim e trata um problema especifico. O antibiótico por exemplo é indicado no tratamento de infecções, o anti-inflamatório, como diz o seu próprio nome, é indicado para tratar inflamações. 

Ainda encontra-se no mercado farmacêutico uma terceira categoria de medicação que faz muita confusão entre os pacientes, são os analgésicos, que possuem a distinta função de aliviar as dores, diminuir ou interrompe-las. Portanto, cada categoria tem sua função distinta. o antibiótico atua no tratamento das infecções, os anti-inflamatórios no tratamentos das inflamações e os analgésicos no tratamento de redução e alivio das dores. E todos precisam ter claro essa divisão. Quando misturamos certos medicamentos ou invertemos, a saúde é colocada em risco.

Publicidade

Uma pessoa afeta de infecção na urina e uma forte inflamação, vai precisar tomar os dois medicamentos, o antibiótico para combater a infecção, o anti-inflamatório para tratar e reduzir a inflamação e dependo ainda da situação, o médico também pode prescrever um analgésico para ajudar no controle e alivio das dores. Mas observe que cada categoria farmacêutica é utilizada para um fim distinto e muitas pessoas não compreendem essa distinção e acabam por consumir os medicamentos trocados provocando efeitos colaterais e indesejados.

Publicidade

Antes de tomar qualquer tipo de remédio, é Importante é consultar sempre o médico especialista, é ele quem tem condições de orientar, e prescrever os medicamentos necessários para o tipo de problema que o paciente esta enfrentando. A auto medicação pode gerar grande desconforto para o paciente, por essa razão, jamais se auto medique e consulte sempre seu médico de base.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Priscilla Rodighiero

Formada em Pedagogia pela Universidade Estadual de Maringá, amante da escrita e do conhecimento, redatora de profissão, poetiza e escritora, mãe, esposa e serva do Senhor.