in

UOL aponta ‘coincidências’ entre o caso de Marielle com o presidente Bolsonaro

Repórter-am.com / r7.com Montagem: Marlon Cavalcante

A ex-vereadora do Rio de Janeiro pelo PSOL, Marielle Franco,  foi morta a tiros em março do ano passado. O motorista do carro, Anderson Pedro Gomes, também foi atingido e acabou morrendo. Desde então a polícia segue investigando o caso como execução.

Publicidade

Ontem (12), foram levantadas ligações entre o atual presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, com o caso do assassinato de Marielle. “Tentar fazer essa relação é mais do que absurdo, é repugnante“, declarou a imprensa o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente da República quando foi questionado sobre a coincidência de Ronnie Lessa preso ontem ter ligação com Bolsonaro.

Ronnie Lessa, segundo os investigadores, foi o executor de Marielle. O delegado responsável pela Divisão de Homicídios da capital fluminense, Ginilton Lages, confirmou que um dos filhos de Bolsonaro namorou a filha de Lessa, além disso, Lessa mora no mesmo condomínio que Bolsonaro.

Publicidade

Flávio Bolsonaro, o filho mais velho do presidente, empregou durante anos a esposa e a mãe do capitão Adriano Magalhães da Nóbrega em seu gabinete, sendo que Nóbrega é acusado de ser um dos líderes do chamado ‘Escritório do Crime’, um grupo de extermínio que comete assassinatos por encomenda. A polícia não descartou que o assassino de Marielle faça parte do ‘Escritório’.

Publicidade

Existe também a coincidência que o motorista que também é amigo de Flávio Bolsonaro, se chama Fábrício Queiroz, e que justamente o motorista do carro usado para o assassinato de Marielle também se chama Queiroz. A última coincidência é de que as câmeras de seguranças, justamente da noite do assassinato de Marielle foram desligadas, essa sequência foi apresentada pelo portal UOL, através do jornalista Thomas Milz.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade