in

‘Lula Livre’: campanha ressurgirá com força total e promete forte oposição a Bolsonaro

Portal Lula

A campanha “Lula Livre”, que luta pela liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em uma sala especial na sede da Polícia Federal em Curitiba, promete, após reunião marcada para o dia 16, tomar um novo fôlego e se tornar mais robusta do que têm se mostrado até então.

Publicidade

A renovação da campanha vem após a frustração com a ausência de Lula nas eleições presidenciais de 2018 e a derrota do PT nas urnas. Os petistas, que acreditam que Lula é um preso político, veem na campanha uma forma de conseguir a libertação do ex-presidente.

Ao contrário do esperado, as eleições acabaram por consolidar a direita “antipetista”, representada pela figura de Jair Bolsonaro (PSL), no poder.

Publicidade

A partir da reunião dos líderes de partidos e de movimentos de esquerda, que será chamada de Encontro Nacional Lula Livre e que pretende reunir até 400 pessoas no Sindicato dos Eletricitários na capital paulista. A ideia é que comitês sejam criados pelo Brasil para que se espalhe a narrativa de que a democracia e os direitos do povo estão em risco.

Publicidade

O objetivo é criar um novo ambiente político que coloque pressão para que a prisão de Lula seja revisada pelo judiciário. Além disso, a campanha renascera com a pretensão de unir a esquerda do Brasil e organizar uma oposição ao governo Bolsonaro. 

Publicidade

Ao final do encontro, são esperadas as presenças de Fernando Haddad (PT), Manuela D’Ávila (PC do B) e Guilherme Boulos (PSOL). “A mobilização pela liberdade do Lula é parte importante da luta democrática no Brasil. Ele tem sido vítima de sucessivos abusos. Como candidato sempre deixei isso claro”, afirmou Boulos.

Publicidade

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.