in

‘DIU quebrou em pedaços e chegou até o fígado’, relata mulher que perdeu útero e ovários

Revista Crescer

O relato dessa mãe serve de alerta para muitas mulheres que procuram fazer o método contraceptivo DIU. É necessário procurar um bom profissional que use produtos de qualidade para não sofrer terríveis surpresas após o procedimento.

Publicidade

Tanai Smith, 25 anos, é moradora de Baltimore, nos Estados Unidos. Ela desabafa um triste caso que aconteceu e começa perguntando o que teria feito para merecer o que está passando e até o que poderia aprender com isso.

Sua trágica experiência com DIU aconteceu logo depois do nascimento de sua filha no decorrer de seis semanas após o parto. Ela conta que esse método foi sugerido pelos próprios médicos que a acompanhavam e que ela aceitou porque foi informada de que era seguro e que era o melhor tipo também.

Publicidade

Ela informou que usou o DIU por três anos sem qualquer outro tipo de problema, até que em uma consulta de rotina, o médico que a atendeu disse que o objeto não estava mais onde deveria estar. Ela relata que fez dois exames de ultrassonografia e que nenhum deles apontou onde estava o DIU.

Publicidade

Dias depois ela sentiu fortes dores na região do estômago e procurou ajuda médica. Chegando no hospital fizeram exames e em seguida a encaminharam para uma cirurgia. “No dia 13 de dezembro, fui fazer o procedimento. Tive três cortes: um sob o umbigo e um em cada lado do corpo. Eles conseguiram tirá-lo, mas disseram que o DIU se quebrou em pedaços. Disseram-me que tinha chegado até o meu fígado”, disse ela.

Publicidade

Ela voltou pra casa e teve alta ainda sangrando. A situação piorou e ela precisou ser operada às pressas, pois estava com hemorragia interna. Ela disse que quase morreu na cirurgia, pois estava em uma máquina de respiração e de diálise, pois seus rins não trabalhavam. Nessa segunda cirurgia foram retirados seus ovários que estavam pretos e o útero.

Tanai perdeu todos os dedos do pé esquerdo e as pontas do direito por conta da perda de fluxo sanguíneo. Mas ela agradece que está bem agora e se adaptando a nova vida, pois ela está usando muletas, mas mesmo assim consegue atender às necessidades básicas de sua filha.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Nado Calegari

Sou formado em Sistemas de Informação com pós-graduação em Gerenciamento de Projetos em T.I. Além de atuar como programador há 8 anos, trabalho também como redator há cerca de 3 anos, o que fez despertar uma nova paixão. Tanto que, atualmente, sou graduando em Letras - Português e Inglês. Escrevo sobre tudo o que envolve o mundo do entretenimento, além de falar sobre esportes e as principais notícias do dia a dia. Pode entrar em contato comigo através do e-mail nado_news@hotmail.com .