in

Tuiuti faz homenagem ao ‘Salvador da Pátria’ e puxa gritos de ‘Lula Livre’; assista

Brasil 247 / Diário do Centro do Mundo

Ficou a cargo da escola de Samba Paraíso do Tuiuti a realização do desfile mais esperado da noite, na Marquês de Sapucaí. Sob o olhar de milhares de pessoas, a escola exibiu desfilou o enredo “O Salvador da Pátria”, em uma luxuosa homenagem ao ex-presidente Lula.

Publicidade

Jack Vasconcelos, carnavalesco responsável pela homenagem, não deixou que o público fosse pego de surpresa e adiantou a todos a homenagem que a escola faria a Lula.

Segundo ele, a massa iria conhecer um mito de verdade: “nordestino, barbudo, baixinho, de origem pobre, amado pelos humildes e por intelectuais”. Jack acrescentou dizendo que Lula incomodou a elite e por isso foi condenado a virar símbolo da identidade de um povo.

Publicidade

“Do nada um bode vindo lá do interior, destino pobre, nordestino sonhador, vazou da fome, retirante ao Deus dará, soprou as chamas do dragão do mar”, foram alguns dos versos que ecoaram na avenida e acabaram puxando do público gritos de “Lula livre”. Assista.

Publicidade

Tuiuiti puxa Lula Livre na Avenida

Gepostet von Brasil 247 am Dienstag, 5. März 2019

O bode ao qual a letra se refere é o bode Ioiô, um personagem popular e, vale acrescentar, real de Fortaleza, local onde acabou chegando com um retirante em fuga da seca no interior do Ceará, em 1915.

Publicidade

Ioiô vagava pelas ruas da capital nordestina. Diariamente, o bode fazia o mesmo trajeto: da antiga Praia do Peixe (atualmente Praia de Iracema) à Praça Ferreira. Ao final do dia, o bode voltava pelo mesmo percurso feito anteriormente. Com isso, surgiu então o nome Ioiô.

Em suas idas e vindas, Ioiô fez diversos amigos, entre eles poetas e intelectuais. Com seus amigos do trajeto o bode tinha dias boêmios regados a várias doses de cachaça. Com sua popularidade em alta na época em que as eleições eram realizadas através de pedaços de papel escritos à mão, Ioiô foi “eleito” vereador, em 1922. 

A brincadeira popular não foi adiante, o bode acabou por sofrer um “golpe” e teve sua eleição impugnada sob o argumento de que um bode não poderia ser vereador. Os compositores Cláudio Russo, Moacyr Luz, Dona Zezé, Jurandir e Aníbal marcaram a poética do samba da Tuiuti exatamente no paralelismo entre Lula e o Bode Ioiô.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.