in

Sérgio Moro ouve a população e toma decisão histórica

Divulgação.

O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, havia tomado uma decisão polêmica ao nomear a especialista Ilona Szabó para o conselho de sua gestão como ministro. A repercussão negativa se deu por conta do histórico de Ilona.

Publicidade

De fato, a Ilona é uma mulher com ideologia de esquerda, por conta disso que eleitores do Bolsonaro não gostaram da escolha. Ainda por cima, a nomeada era defensora da ideologia desarmamentista, que vai totalmente contrária ao que o presidente Jair Bolsonaro pensa.

Então, Moro ouviu os pedidos para voltar atrás em sua decisão e cedeu. O ministro tomou uma decisão histórica ao voltar atrás e não nomear Ilona Szabó ao conselho. O fato é muito raro, pois o ministro só não nomeou Ilona por conta da pressão popular.

Publicidade

Sérgio Moro, no entanto, vem tentando articular bem com deputados para aprovar o seu pacote anti-crime no Congresso Nacional. Tendo em vista sua credibilidade, Moro resolveu não se comprometer  ao ‘bancar’ Ilona no conselho de seu Ministério.

Publicidade

Gosta de música? Ouça clássicos das décadas de 70, 80 e 90 agora mesmo | CLIQUE AQUI

Publicidade

Moro era juiz federal e ficou famoso após a condenação do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva. O atual presidente Jair Bolsonaro foi um dos admiradores do juiz que comprometeu sua vida para investigar e condenar grandes políticos.

Publicidade

O ex-juiz federal foi o nome mais midiático da operação Lava Jato, por mais que ele não gostasse de aparecer, para manter a postura imparcial em suas decisões. Agora, como ministro, Moro é um político e tem que apresentar posições. Posteriormente, pode ser que Moro integre uma cadeira no STF (Superior Tribunal Federal).

Publicidade

Escrito por Bruno Avila

Redator de futebol, política e famosos desde 2016. Hoje um dos redatores mais lidos do 1News Brasil. Fique à vontade para falar comigo: brunoavilaprof@outlook.com