in

Urgente! Militares venezuelanos disparam contra civis na fronteira com o Brasil

Folha/Uol

Nesta sexta-feira (22), soldados do exército venezuelano de Maduro abriram fogo contra civis na fronteira sul da Venezuela com o território Brasileiro, segundo informações do jornal norte-americano, Washington Post, ação resultou em duas pessoas mortas e ao menos 22 feridas.

Publicidade

O grupo, que tentava bloquear a passagem de um comboio do exército venezuelano, foi recebido a tiros pelos militares, apoiadores do regime de Nicolas Maduro. O acontecimento teria sido registrado às 6h30 da manhã ,no horário da Venezuela. Além dos 22 feridos, uma das pessoas que vieram a óbito já foi identificada. Seu nome é Zorayda Rodrigues, de 42 anos.

Os tiros foram efetuados próximo de uma comunidade indígena, na vila de Kumarakapai, nas proximidades da estrada que une o sul da Venezuela ao Brasil. Após o tiroteio, dezenas de moradores saíram às ruas. Jorge Perez, vereador venezuelano, estava no local e pôs em questão a atitude tomada pelos militares. “É constitucional as forças armadas dispararem contra indígenas desarmados?”, disse.

Publicidade

A ação polêmica dos militares venezuelanos vem logo após Nicolas Madura fechar as fronteiras do país para impedir a ajuda humanitária oferecida pelo Brasil e Estados Unidos, vista por Maduro como uma ofensa.

Publicidade

JUAN GUAIDÓ SE PRONUNCIOU SOBRE O OCORRIDO

O autodeclarado presidente interino da Venezuela e presidente da Assembleia Nacional, Juan Guaidó, usou sua conta na rede social Twitter para fazer comentários sobre o acontecido. Juan classificou o caso como “crime” e pediu que os militares entreguem os autores dos disparos contra os civis.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Higor Mendes

Redator com três anos de experiência, apaixonado por história da Segunda Guerra Mundial, política, futebol e curiosidades em geral.