in

Racismo: Aílton Graça participa de protesto no Extra

Montagem: Fotos G1

Na última quinta-feira, dia 15, Pedro Henrique Gonzaga, 25 anos, morreu ao levar um golpe de mata leão de um segurança do mercado Extra, na Barra da Tijuca, Zona Oeste do Rio de Janeiro.

Publicidade

Segundo testemunhas, o jovem se envolveu em uma confusão com os seguranças do mercado. A mãe dele viu o que estava acontecendo e tentou apartar a briga, dizendo ao segurança que o filho estava sob o efeito de drogas, porém acabou assistindo a morte do próprio filho.

O segurança foi acusado de homicídio culposo, porém foi solto após pagar fiança. O crime revoltou a população e várias manifestações foram feitas no Rio de Janeiro e por todo país. 

Publicidade

Neste domingo, dia 17, grupos sociais se reuniram para fazer uma manifestação no estacionamento próprio mercado, onde tudo aconteceu. Entre os manifestantes, compareceu o ator da Globo, Aílton Graça, que expressou sua revolta com o ocorrido, pediu um basta ao preconceito e mais respeito ao cidadão negro. 

Publicidade

Aílton Graça ainda ressaltou a importância desses atos que estão acontecendo em várias partes do país, requerendo um basta ao genocídio da população negra, o fim de ações racistas e o cessar do extermínio da população negra. Ele ainda afirma que o negro quer seu lugar na história, na construção desse país e ser respeitado como legítimo cidadão.

Publicidade

No local havia cartazes que diziam: “minha cor não é um crime” e “vidas negras importam”. Um carro de som servia para que manifestantes fizessem discursos contra o racismo. Alguns manifestantes também tentavam convencer as pessoas a não fazerem compras no supermercado.

A Polícia Militar estava no local para garantir que o protesto seguisse sem percalços. Alguns motoristas, inclusive, desistiram de ir ao mercado, ao saber que ali que tinha ocorrido o crime. O fato foi comemorado pelos manifestantes.

Publicidade
Publicidade