in

Bomba! Samuel Rosa, do Skank, é acusado de racismo: ‘macaco cidadão’

Globo

Nesta última quarta-feira, uma confusão feita por um internauta começou a render uma grande polêmica. O motivo? Samuel Rosa, vocalista do Skank, foi acusado de racismo, em um comentário feito no seu próprio perfil nas redes sociais.

Publicidade

Equívoco causou a polêmica

Após postar seu posicionamento sobre o julgamento em andamento no Supremo Tribunal Federal, com relação ao caso que irá definir se homofobia é crime específico ou não, o cantor se viu alvo de uma injusta acusação. Acontece que um dos seguidores, Dirceu Catedral, causou uma confusão ao afirmar que o cantor tinha gravado uma música chamada ‘Macaco Cidadão’.

O problema é que houve o equívoco por parte da pessoa que fez a acusação, de que Samuel Rosa teria cometido um ato racista, haja vista o nome da música é ‘Pacato Cidadão’ e não ‘macaco’, conforme teria dito Dirceu.

Publicidade

Não passou em branco

Samuel Rosa, ao ver o comentário, não deixou passar batido e deu uma curta e eficaz resposta ao suposto racismo, confira na imagem abaixo:

Publicidade

A reposta do cantor do Skank à acusação de Dirceu teve, até o momento da edição deste artigo, mais de seis mil curtidas e um montão de comentários de outros seguidores que manifestaram apoio ao músico. Samuel Rosa nunca esteve envolvido em nenhum episódio de racismo.

Publicidade

‘Pacato Cidadão’ foi uma das músicas mais bem sucedidas do Skank. Lançado em 1994, através do álbum ‘Calango’, a música faz duras críticas a posturas passivas da sociedade e trata de assuntos como alienação, educação, escravidão e poluição. Após a polêmica, muitos fãs deram gargalhadas no post, não perdoando a confusão.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Evandro

O mundo do entretenimento é a minha vida.