in

Saiba a trajetória de Ricardo Boechat, jornalista morto hoje em São Paulo

Canal Livre Youtube

Morreu hoje, segunda-feira (11), Ricardo Boechat. As primeiras informações foram que a aeronave colidiu com um caminhão, que andava na via no momento da queda, morreram também o piloto e co-piloto carbonizados. Boechat estava dentro do helicóptero no momento da queda.

Publicidade

Um condutor que estava no local no momento da tragédia, chamado Felipe Araujo, concedeu uma entrevista sobre o acidente e relatou o que viu. “A aeronave foi perdendo altura e foi direcionando justamente para o espaçamento do Rodoanel, onde há aquela vazão da pista debaixo. Então, percebi que ele foi perdendo altura. Pensei que fosse um pouso. Como estava muito rápido, a gente percebeu que era uma queda. Rapidamente surgiu muita fumaça escura”, disse.

Publicidade

Quem foi Ricardo Boechat?

Publicidade

Gosta de música? Ouça clássicos das décadas de 70, 80 e 90 agora mesmo | CLIQUE AQUI

Publicidade

Ricardo Eugênio Boechat nasceu dia 13 de julho de 1952, em Buenos Aires, na Argentina. É filho de um diplomata brasileiro e iniciou sua carreira em 1970, no extinto jornal Diário de Notícias. Também nessa época, iniciou seu trabalho como colunista, colaborando com a equipe de Ibrahim Sued.

Publicidade

Em 1983 foi para o jornal O Globo. Em 1987, ocupou por seis meses a Secretaria de Comunicação Social no governo Moreira Franco (1987-1991). Após o período, voltou para O Globo.

Boechat se envolveu em algumas polêmicas, a mais recente com Silas Malafaia, quando dirigiu suas críticas a líderes religiosos: “Os evangélicos são uma massa monumental de brasileiros, sempre ficam muito sensíveis quando se faz alguma crítica que generalize a abordagem. E nesse sentido, quero deixar bem claro que essa crítica é uma crítica muito dirigida a pastores e algumas igrejas neopentecostais, e alguns grupos específicos dentro de algumas agremiações religiosas que estão estimulando e levando a cabo ações de hostilidade contra outras religiões, especialmente as religiões de origem africana“. A fala provocou a ira de diversos líderes religiosos, principalmente de Malafaia, que até mesmo ameaçou processar o jornalista.

Ganhador de três prêmios Esso, Boechat teve uma coluna semanal na revista ISTOÉ. Boechat é o recordista de vitórias no Prêmio Comunique-se; e o único a ganhar em três categorias diferentes: Âncora de Rádio, Colunista de Notícia e Âncora de TV. Em pesquisa do site Jornalistas & Cia, em 2014, que listou cem profissionais do setor, Boechat foi eleito o jornalista mais admirado.

Publicidade