in

Tragédia de Brumadinho: corpos podem não ser encontrados e Bolsonaro toma atitude

Reprodução / Presidência da República

O rompimento de barragem na cidade de Brumadinho, Região Metropolitana de Belo Horizonte, em Minas Gerais, nesta sexta-feira (25), deixou centenas de pessoas desaparecidas. Em sua ida ao local, o governador de Minas, Romeu Zema, deu uma declaração forte: “vamos resgatar somente corpos”, afirmou.

Publicidade

Apesar de forte, diante dos contornos da tragédia, é exatamente isso o que tem acontecido nas últimas horas, mas nem todos os corpos poderiam ser achados, garantiu a equipe Anjos do Asfalto, que trabalha no socorro às vítimas.

De acordo com o grupo, há locais em que a lama chega a 10 metros de profundidade. Encontrar corpos em locais assim é uma missão bastante difícil e já houve outras tragédias no Brasil em que nem todos os corpos foram encontrados.

Publicidade

Em 2011, tragédia em Nova Friburgo, Região Serrana do Rio de Janeiro, contabilizou 918 mortes e pelo menos 99 desaparecidos que nunca foram encontrados.

Publicidade

Para que isso não aconteça em Brumadinho, Bolsonaro aceitou a ajuda oferecida por Israel. O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu e o presidente se falaram por telefone, neste sábado (26). Israel enviará um avião com dezenas de profissionais.

Publicidade

A aeronave vai contar com equipe médica, detectores de ecos e sonares, usados em situações de desabamentos e rupturas grandes. Com este equipamento, é possível localizar pessoas a até cinco metros de distância do solo. Engenheiros também virão e vão verificar outras barragens espalhadas por Minas Gerais. Desde que Bolsonaro assumiu, Israel tornou-se grande aliada do país.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!