in

Polícia prende quase todos os vereadores de cidade no Tocantins

Dez dos onze vereadores de Augustinópolis, no Tocantis, tiveram a prisão temporária decretada pela justiça. Os mandados começaram a ser cumpridos pela Polícia Civil na manhã desta sexta-feira, e até às 7h30, sete vereadores já haviam sido presos.

Publicidade

A operação deflagrada pela Polícia Civil recebeu o nome de ‘Perfídia’ e investiga um esquema de propina na cidade, que visava aprovar projetos enviados pela prefeitura da cidade.

De acordo com as investigações, os vereadores estavam recebendo propinas para votar à favor dos projetos que fossem enviados pela prefeitura. Estima-se que o esquema de pagamentos de propinas tenha movimentado em média R$ 40 mil por mês.

Publicidade

A justiça também determinou que os 10 vereadores que tiveram mandado de prisão expedido, também sejam afastados dos seus cargos por 180 dias. Com essa decisão, os suplentes dos vereadores envolvidos deverão ocupar os cargos e serem nomeados imediatamente.

Publicidade

Apenas o presidente da Câmara de Vereadores não será obrigado a se afastar do cargo, pois até o momento ele não está sendo investigado.

Publicidade

Os vereadores que tiveram a prisão temporária decretada são:

  • Antônio Silva Feitosa
  • Maria Luisa de Jesus do Nascimento
  • Antônio José Queiroz dos Santos
  • Antônio Babosa Sousa
  • Ozeas Gomes Teixeira
  • Edvan Neves Conceição
  • Francinildo Lopes Soares
  • Marcos Pereira de Alencar
  • Angela Maria Silva Araújo de Oliveira
  • Wagner Mariano Uchôa Lima

O presidente da Cãmara de Vereadores, Cícero Cruz Moutinho será levado para depor. Além dele, um servidor do controle interno do município e o secretário de administração de Augustinópolis também irão prestar depoimentos.

Publicidade