in

Pastor Silas Malafaia e Eduardo Paes viram réus: ‘Perseguição religiosa’

Veja

A noticia pegou a todos de surpresa no cenário politico, quanto no mundo gospel. Foi confirmado nesta quinta-feira (24) que o pastor Silas Malafaia e o ex-prefeito do Rio, Eduardo Paes, viraram réus em ação de improbidade administrativa.

Publicidade

As denuncias são de que a prefeitura aplicou, sem licitação, R$ 1,6 milhão no evento religioso Marcha Para Jesus, no ano de 2012.

A juíza Mirela Erbisti, da 3ª Vara de Fazenda Pública do Rio, recebeu a acusação feita pelo Ministério Público e homologou a decisão. Sendo assim se tornaram réus o ex-prefeito do Rio de Janeiro Eduardo Paes, também o ex-chefe da Casa Civil Guilherme Schleder e o pastor Silas Malafaia que é o presidente do Comerj- Conselho dos Ministros Evangélicos do Rio. 

Publicidade

Silas Lima Malafaia, 60 anos de idade, é um pastor pentecostal brasileiro líder do ministério Vitória em Cristo, ligado à Assembleia de Deus.

Publicidade

A juizá bate o martelo e afirma que “há indícios suficientes da participação de cada um dos demandados na prática do ato ímprobo”. Paes, segundo ela, “deveria zelar pelo bom uso do dinheiro público“, diz o mesmo sobre o ex-secretário da Casa Civil.

Publicidade

O pastor Silas responde a magistrada dizendo: “Teria se locupletado com o evento, eis que era presidente e representante legal da Comerj, esta a beneficiária direta do ato ímprobo”. E continua dizendo que “promovendo seu nome pessoal e a associação, concorreu ainda para o gasto aparentemente irregular do município”. O pastor disse que tem certeza que se trata de perseguição religiosa.

A Marcha Para Jesus é famosa em todo mundo e promove uma interação e comunhão entre fiéis de diversas denominações sem distinção alguma, a festa é puxada por trio elétrico, regada a muito louvor, orações e ministrações curtas de palavras proféticas pelas pessoas, pela liderança politica de todo o país e pelas ruas da cidade por onde vai passando.

Publicidade
Publicidade