in

Com ironia, Globo acusa Record de ser cúmplice de Bolsonaro

Reprodução/Folha Uol

Bem antes do atual presidente, Jair Bolsonaro, assumir seu cargo no congresso nacional, a mídia vem o atacando. Todos os seus passos são comentados e reportados, mas isso não é algo absurdo, pois ele é o presidente do Brasil.

Publicidade

Agora, o alvo de insinuações e de especulações é seu filho Flávio, senador eleito no Rio de Janeiro, que também está na politica a algum tempo.

O senador Flávio Bolsonaro concedeu uma entrevista para a emissora Record, com o intuito de esclarecer o caso ao qual foi exposto pela  TV Globo, em que ele é acusado de receber 48 depósitos de forma suspeita.

Publicidade

A TV Globo não gostou da entrevista fornecida para a emissora concorrente, e logo acusou que a emissora Record estava sendo cúmplice do deputado estadual Flávio Bolsonaro.

Publicidade

Os apresentadores do programa Fantástico, Ana Paula Araújo e Tadeu Schmidt, que vão ao ar todos os domingos à noite, fizeram um breve resumo da entrevista fornecida pelo filho do presidente. Comentando ainda de forma irônica, a apresentadora Ana Paula disse:

Publicidade

“Ao senador, não foi perguntado, e por isso ele não respondeu, por que optou por 48 depósitos de R$ 2 mil com diferença de minutos em cada operação em vez de depositar o total que recebeu em espécie de uma só vez na agência bancária onde tem conta. Também não foi questionado por que preferiu receber parte do pagamento da venda em dinheiro e não em cheque administrativo ou transferência bancária”.

Não há relatos desse confronto direto da TV Globo com qualquer outra  emissora. Contudo, devido às especulações de que a TV Globo se opõe diretamente o governo de Jair Bolsonaro, o comentário irônico de Ana Paula foi considerado como uma alfinetada à Record TV, que segundo os apresentadores globais, não fizeram uma das perguntas mais importantes sobre o caso.

Publicidade
Publicidade
Publicidade