in

Deputado dos dólares na cueca quer CPI para investigar Flávio Bolsonaro

Reprodução / PT

Eleito para o quarto mandato consecutivo, o deputado federal José Guimarães (PT-CE) quer que seja aberta uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

Publicidade

Filho do presidente Jair Bolsonaro, Flávio vem sendo acusado de ter feito movimentações financeiras suspeitas. A confusão ficou ainda maior, quando o senador recorreu ao Supremo Tribunal Federal (STF), pedindo a paralisação as investigações conduzidas pelo Ministério Público (MP-RJ).

O senador alega que o seu sigilo bancário foi quebrado sem que houvesse autorização da Justiça para tal medida. O STF acatou o pedido e as investigações pararam.

Publicidade

José Guimarães, um dos nomes mais fortes da bancada do PT, pediu a abertura da CPI. Guimarães ganhou fama nacional em 2005, no auge do escândalo do Mensalão, no primeiro governo Lula.

Publicidade

José Adalberto Vieira, assessor do deputado à época, foi flagrado no aeroporto de Congonhas, em São Paulo, com nada menos do que 100 mil dólares na cueca. O homem foi conduzido à Polícia Federal.

Publicidade

Além do dinheiro na cueca, ele carregava uma mala com mais R$ 209 mil. O dinheiro era de propina e seria utilizado para intermediar um negócio entre uma empresa de energia e o Banco do Nordeste. O deputado José Guimarães escapou de qualquer acusação ao defender que não havia ligação entre ele e o assessor.

O pedido de abertura de CPI não parte apenas do deputado cearense. O PT, presidido por Gleisi Hoffmann, articula um movimento em favor da investigação contra Flávio Bolsonaro.

Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!