Com Bolsonaro no poder, Brasil entra na lista da ONU como um país de ditadura e preocupa

PUBLICIDADE

O Brasil passou a constar na lista do Observatório de Direitos Humanos (HRW) como um país governado por um líder autocrático. O nome de Jair Bolsonaro está ao lado de nomes como Nicolás Maduro, presidente da Venezuela, e Recep Erdogan, presidente turco.

PUBLICIDADE

De acordo como o Relatório Mundial de Direitos Humanos de 2019, o presidente brasileiro é descrito como “um homem que, com grande risco à segurança pública, encoraja abertamente o uso da força letal por policiais e membros das Forças Armadas em um país já devastado pela alta taxa de homicídios causados por forças policiais e mais de 60 mil homicídios por anos”.

Além disso o documento traz mais informações de cunho bastante negativo sobre o Brasil, destacando o assassinato da vereadora Marielle Franco e de seu motorista, Anderson Gomes, que vão completar um ano em março de 2019. É colocado em pauta também o recorde de 64 mil homicídios registrados no ano de 2017.

Outro realce do relatório diz sobre a liberdade de imprensa, tomando como ponto de partida uma declaração do presidente que ameaçou cortar verbas publicitárias para os veículos de imprensa que se comporte segundo ele, de forma indigna.

No lançamento desse relatório que foi em Genebra, Kenneth Roth, diretor-executivo da Human Rights Watch, falou que governos autoritários espalham o ódio e intolerância pelo mundo. Ele mencionou ainda que o presidente está entre presidentes com práticas autocráticas como Rodrigo Duerte, presidente das Filipinas e Viktor Orbán, da Hungria, considerados ditadores.

PUBLICIDADE