in

Luto na TV: morre uma das grandes cantoras e atrizes do Brasil

Quem viveu nas décadas de 1970 e 1980 lembra-se do grupo ‘As Frenéticas’. Regina, Sandra, Lidoca, Edyr, Leiloca e Dhu fizeram tanto sucesso que suas músicas foram tema de duas novelas da Globo nos anos 1970: ‘Dancin’Days’ e ‘Feijão Maravilha’. Esse feito inédito alavancou ainda mais a carreira de sucesso da banda.

Publicidade

Nesta terça-feira (15), os fãs saudosistas do grupo que já foi extinto lamentam a morte de Edyr de Castro, aos 72 anos. Ela morreu no Rio de Janeiro de falência múltipla de órgãos. Desde 2011, Edyr lutava contra o Alzheimer. Sua aparação na TV foi em 2009, quando atuou na novela ‘Poder Paralelo’, da Record TV.

Edyr começou a carreira no teatro, no final dos anos 1960. Logo depois foi chamada por Nelson Motta para integrar o recém-criado ‘As Frenéticas’. O grupo tornou-se um fenômeno e vendeu milhares de discos em todo o Brasil.

Publicidade

“Abra suas asas, solte suas feras” embalou gerações e é tocada até hoje em discotecas que apostam em sucessos do passado. ‘As Frenéticas’ chegaram ao fim em 1984. Edyr deixou a música e migrou para televisão. Em 1985, atuou no grande sucesso ‘Roque Santeiro’. Também ganhou papel em ‘Cambalacho’ (1986), ‘Anos Rebeldes’ (1992), ‘Por Amor’ (1997), ‘Chiquinha Gonzaga’ (1999), ‘Cabocla’ (2004) e ‘Sinhá Moça’ (2006), seu último papel na Rede Globo.

Publicidade

Depois de deixar a TV, em 2009, ela foi morar no Retiro dos Artistas, no Rio, que acolhe artistas idosos que não têm família. O velório de Edyr acontecerá nesta quarta (16), às 10h, no Cemitério do Caju. O corpo da atriz e cantora será cremado.

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!