in

Governo Bolsonaro vai acabar com auxílio-reclusão pago às famílias dos presos?

Fotomontagem:TV Aratu / Secretaria de Segurança Pública de SP / PSL/Diogo Marcondes

Circula pelas redes sociais a notícia de que o governo do presidente Jair Bolsonaro (PSL) vai acabar com o auxílio-reclusão, benefício pago às famílias de alguns presos. A informação tem se espalhado em grupos de apoio ao presidente no Facebook e também em grupos do WhatsApp. Muitos apoiadores de Bolsonaro têm comemorado o suposto fim do benefício.

Publicidade

O auxílio-reclusão é pago pelo Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) às famílias de presos dos regimes fechado ou semi-aberto, desde que o presidiário trabalhasse regularmente e contribuísse com a previdência social antes de começar a cumprir a pena.

Este auxílio é previsto na Constituição Federal e foi regulamentado pela Lei 8.123, de 1991. O benefício é pago somente às pessoas de baixa renda (salário de até R$ 1.319,18). As notícias que circulam nas redes sociais atribuem ao ministro da Economia Paulo Guedes a decisão de acabar com o auxílio.

Publicidade

A informação, no entanto, é falsa. Agência que checam notícias, como Lupa e Boatos, apuraram que o Ministério da Economia, liderado por Paulo Guedes, “não fez nenhum tipo de anúncio referente a mudanças nas regras do auxílio-reclusão“, informou a pasta em nota.

Publicidade

O presidente Bolsonaro é um crítico do auxílio desde os tempos em que atuava como deputado federal. Ele pretende debater o tema na discussão sobre a reforma da Previdência. Por enquanto, o benefício segue sendo pago normalmente às famílias de baixa renda de presos que tenham contribuído com o INSS. Portanto, pode haver mudanças nos próximos meses.

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Escrito por Diogo Marcondes

Jornalista formado desde 2015. Jornalista por vocação desde que nasceu. Redator da i7 Network. Aqui escrevo sobre política, futebol, TV & famosos e qualquer outro assunto que esteja repercutindo no Brasil e no mundo.
Entre em contato comigo pelo @DiogoMarcondes no Twitter!