in

Homem distraído com WhatsApp não percebe assalto em bar; assista ao vídeo

O que tem chamado a atenção de várias pessoas que assistem ao vídeo é o fato de que um dos clientes que estava no local no momento do assalto, se encontrava totalmente distraído usando o celular e não percebeu toda aquela movimentação durante a ação criminosa.

Publicidade

De acordo com informações da Polícia Militar, o crime aconteceu no último domingo (21) em um bar localizado no Bairro Moreiras. De acordo com as testemunhas, um indivíduo trajava calça jeans e blusa preta,  e com arma de fogo em punho, roubou uma bolsa que continha vários pertences, como celular, documentos e a quantia de R$ 200 em dinheiro.

Após o assalto, o criminoso conseguiu fugir e não foi localizado. Pelas imagens é possível notar o momento exato em que o criminoso entra no bar e anuncia o assalto. Em seguida, grande parte dos clientes se abaixam ou deitam no chão. Entretanto, é em meio a todo alvoroço que um cliente que estava próximo ao balcão permanece totalmente distraído mexendo com WhatsApp em seu smartphone.

Publicidade

A pessoa responsável pela divulgação do vídeo realizou a captura das imagens da câmera de segurança através de seu celular e destacou com uma linha vermelha para apontar o cliente. Somente após o bandido ter fugido do local é que ele tomar um susto e tenta se esconder. 

Publicidade

Beatriz Maria dos Santos Barbosa, de 46 anos de idade, contou à reportagem do Portal de Noticias EM como o crime ocorreu: ”O bandido gritou ‘assalto’ do lado de fora, por isso que o pessoal na porta se deitou e o rapaz distraído com celular não percebeu. Tem também outro cliente que está sentado que não entende o que está acontecendo” disse. Beatriz também contou que somente depois que o crime aconteceu foi que o homem se assustou e, em seguida, tentou fugir. 

Publicidade

O mais engraçado é que depois que o assalto acabou ele viu o que estava acontecendo e entrou para minha casa correndo, para se esconder” contou à reportagem do portal.

Após a grande divulgação das imagens pela WEB, diversas hipóteses surgiram. Em uma delas, alguns acreditam na possibilidade de que o homem distraído possa ser um conhecido e também cúmplice do criminoso. Ela prontamente desmentiu essa teoria e defendeu afirmando que “ele é um rapaz muito trabalhador, humilde, não tem nenhuma relação com o crime”

De acordo com Beatriz, na hora do assalto estavam 19 clientes, sendo 5 mulheres e 14 homens. Ainda de acordo com ela, o horário máximo de funcionamento do estabelecimento que funciona na garagem de sua casa é até 22 horas. Ela conta que o bar existe há mais de 20 anos e tinha sido roubada apenas uma única vez, há 1 ano e 6 meses.

Publicidade
Publicidade
Publicidade