in

Mancha Mongólica: conheça tudo sobre essa anormalidade na pele que atinge até 80% dos bebês

Ela está ligada quase que diretamente a descendência da criança, sendo ainda mais comum em descendentes de asiáticos, indígenas, hispânicos ou africanos.

La Vanguardia

A mancha mongólica é uma marca que o bebê tem ao nascer e ela pode ser das cores azuladas, azulada acinzentada, arroxeada ou até mesmo esverdeada. Ela pode surgir já no nascimento da criança ou em suas primeiras semanas de vida ficando localizada em quase todas as ocasiões próximas a região do glúteo de bebê.

Publicidade

Ela está ligada quase que diretamente a descendência da criança, sendo ainda mais comum em descendentes de asiáticos, indígenas, hispânicos ou africanos. Como no Brasil há muitos casos de pessoas que tenha esses antepassados ela é muito comum entre as crianças brasileiras, por isso pode afetar até 80% dos recém-nascidos, variando um pouco da região em que ele cresceu.

Essas manchas não são cancerígenas e em sua grande maioria não é sinal de nenhuma gravidade de saúde, caso ele possua muitas manchas ou ela cubra uma parte muito grande de seu corpinho, pode ser sinal de algum problema e por isso um médico deve ser consultado, assim como qualquer anormalidade notada em manchas pequenas também.

Publicidade

Além da região dos glúteos ela pode atingir lombar, ombros, costas ou outras partes de seu corpo. A textura dela é igual ao restante de sua pele e pode variar de 2 a 8 centímetros de largura. Ela se assemelha muito com uma marca roxa que qualquer adulto pode ter ao sofrer algum tipo de lesão, por isso a maioria dos pais pensam ser algum machucado oriundo do parto ou no hospital.

Publicidade

O exame médico é fundamental para determinar se há algum risco, pois, só um médico poderá avaliar se essa mancha não apresenta nenhum outro problema relacionado. Não tem nenhum tratamento recomendado quando a mancha é apenas uma marca de nascimento, caso seja grave pode ser indicado um tratamento a laser. Ela tende a sumir naturalmente com o passar dos anos, quando a criança atingir a adolescência ela provavelmente terá desaparecido.

Publicidade
Publicidade