in

General do Exército rebate ataques de Ciro Gomes: ‘sarnento vira-lata’

Candidato à Presidência da República pelo PDT, Ciro Gomes foi sabatinado por repórteres dos jornais O Globo, Valor Econômico e revista Época, na quarta-feira (12). Durante a entrevista, o presidenciável fez duras críticas ao general Hamilton Mourão, vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro (PSL), e general Eduardo Villas Boas, comandante do Exército.

Publicidade

Sob ordem da Constituição, eu mando e eles obedecem. Quero as Forças Armadas modernas, poderosas, mas militar não fala em política no meu governo”, afirmou Ciro Gomes, criticando a intromissão dos militares na ativa da política nacional.

Em relação a Villas Boas, Ciro garantiu que “estaria demitido e provavelmente pegaria uma ‘cana’” por ter questionado a legitimidade do futuro governo se ele fosse o presidente da República.

Publicidade

Mas deixa eu explicar, ele está fazendo isso para tentar calar a voz das ‘cadelas no cio’ que embaixo dele estão se animando com essa barulheira. Esse lado fascista da sociedade brasileira”, explicou Ciro.

Publicidade

Gosta de música? Ouça clássicos das décadas de 70, 80 e 90 agora mesmo | CLIQUE AQUI

Publicidade

Em seguida, o presidenciável também criticou o general Mourão, vice de Bolsonaro. “Esse general Mourão, que é um jumento de carga, tem uma entrada no Exército e agora se considera tutor da nação. Os brasileiros têm que deixar muito claro que quem manda no país é o povo”, afirmou.

Publicidade

 

No Twitter, o candidato foi criticado pelo general Paulo Chagas, que afirmou que as Forças Armadas são disciplinadas, mas não estão mortas. Em seguida, sem citar o nome de Ciro, mandou uma mensagem ao pedetista.

Cautela, ‘cãodidato’, porque o silêncio do lobo e o coice do ‘jumento de carga’ são, seguramente, mais perigosos que o latido de um cão, particularmente, quando este é um sarnento vira-latas”, postou o general.

Publicidade