in

Jovem que teve 80% do corpo queimada por causa de tatuagem com nome do ex morre em SP

Bruna Jenifer Cirilo tinha 21 anos e uma tatuagem com o nome do ex-namorado quando sua casa foi incendiada e ela teve 80% do corpo queimado. O caso aconteceu no mês passado. Depois de 20 dias internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) da Santa Casa de Santos, em estado grave, ela morreu nesta quinta-feira (13).

Publicidade

O principal acusado de ter incendiado a casa onde Bruna morava é o companheiro da vítima, que tem 26 anos. De acordo com a polícia, a tatuagem com o nome do ex-namorado pode ter motivado a agressão a Bruna.

Ela e o ex-namorado moraram em Itanhaém. O rapaz foi preso por suspeita de envolvimento com o tráfico de drogas. Bruna tinha uma tatuagem com o nome do ex e manteve contato com ele, mesmo após a prisão. O atual namorado não gostou nada disso.

Publicidade

Um boletim de ocorrência registrado no 1º Distrito Policial (DP) de Itanháem, mostrava que o casal já havia se desentendido por conta desse contato que ela mantinha com o ex na cadeia.

Publicidade

De acordo com a mãe da menina, Roseli Cirillo, em entrevista ao portal G1, Bruna seria operada nesta quarta, mas sofreu uma parada cardíaca e não resistiu. "Esses dias foram terríveis", afirmou a mãe.

Publicidade

Internada na UTI da Santa Casa de Santos, Bruna havia perdido um dos seios e corria o risco de ter um braço amputado. Uma reação da jovem na UTI faz a mãe também acreditar que o incêndio não foi acidente.

"Ela acordou um pouquinho e consegui falar com ela, mas estava bem exaltada. Eu pedi pra ela fechar o olho se tivesse sido acidente ou, se não foi, pra ela abrir o olho. Ela arregalou os olhos", comentou a mãe.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade