in

Segundo Sol: Rosa revela assassinato

Mais reviravoltas nos próximos capítulos da novela das 9 da Rede Globo. E, só para variar um pouquinho, é Rosa (Leticia Colin) quem fará uma das revelações mais bombásticas dessa reta (quase) final de Segundo Sol. E a mocinha com tendência à vilã decide abrir o jogo para Ícaro (Chay Suede). Em mais uma de suas coversas/recaídas com o galã, a ex-garota de programa decide contar um pouco do que sabe: que Laureta (Adriana Esteves) matou Galdino.

Publicidade

Segundo a colunista do Jornal O Globo, tudo começa quando Ícaro descobre que Rosa brigou com Valentim (Danilo Mesquita), mais uma vez, em Segundo Sol. Decidido a reconquistar a ex-namorada, o mocinho resolve procurá-la em sua casa. Assim que os dois ficam à sós, a loira tenta disfarçar, dizendo que o namorado está por perto, mas o ex é mais rápido: "Valentim tá lá no casarão, bodeado. Você e ele brigaram, não foi?".

Então Rosa fica sem saída e tenta dar um fora no rapaz mais uma vez. "Você não tem nada com isso. Ande, dê o fora, vá! Me deixe em paz!", insiste ela. Mas Ícaro percebe que tem algo errado e resposde que ficou preocupado com Rosa, principalmente depois da morte de Galdino. Vendo que a ex-namorada abaixou a guarda, ele logo se declara, dizendo que ama a moça e que não lhe deseja qualquer mal.

Publicidade

Vendo que pode contar com o ex, Rosa não suporta mais o que segredo que carrega e começa a chorar. Aos soluços, ela abre o jogo em Segundo Sol. "Galdino ia matar Laureta. Tava esganando ela, ia cortar a garganta dela. Eu não podia deixar. Não porque era Laureta, entende? Não podia deixar fosse qualquer pessoa!", inicia ela.

Publicidade

"Então, quando vi, peguei o abajur que tava ali e bati na cabeça dele, mas ele não morreu, tava respirando, eu vi! E Laureta matou ele em seguida, com uma injeção de ar. É assim que ela mata, eu descobri ali. Com uma injeção de ar, pra não deixar vestígio", continua Rosa, visivelmente abalada com tudo o que aconteceu.

Publicidade

Ícaro fica chocado com tudo o que escuta e aconselha Rosa a denunciar Laureta o mais rápido possível. Mas ela não aceita a ideia de mandar a sócia para a mira da polícia. "Eu não posso, eu sou cúmplice, não vê? Eu bati na cabeça de Galdino, eu dei a chance de Laureta fazer aquilo. Aquela cena não sai de minha cabeça. Eu gritei, gritei para ela parar, eu tava apavorada, com muito medo. Eu tô muito mal com isso, muito mal. Acredita em mim, por favor", encerra ela, fazendo o pedido aos prantos.

Publicidade