in

Urgente: após ataque a Bolsonaro, Alto Comando do Exército inclui pauta sobre incidente na reunião

Segundo o Antogonista apurou, o comandante do Exército Brasileiro, general Villas Bôas, fez a convocação de uma reunião emergencial com cerca de 16 oficiais-generais de quatro estrelas do Alto Comando após o atentado contra o presidenciável Jair Bolsonaro. Contudo, o Globo News desmente a informação e revela que a reunião já estava marcada e apenas a pauta sobre o incidente foi incluida na reunião.

Publicidade

Por meio de uma videoconferência, a cúpula do Exército estará realizando a reunião, com além dos assuntos previsto, também com o entendimento de que a situação do país tenha piorado. Ainda segundo o Antogonista, um dos oficiais teria comentado que caso Jair Bolsonaro morra, as coisas irão desandar.

Bolsonaro estava em ato de campanha no estado de Minas gerais quando sofreu o ataque de faca. O candidato à Presidência do PSL já passou por uma cirurgia na Santa Casa de Misericórdia de Juiz de Fora. O candidato precisou de uma transfusão de sangue durante o processo cirúrgico e está sem previsão de alta.

Publicidade

Inicialmente a informação era de que o ferimento havia sido superficial, mas os exames indicaram uma suspeita de lesão no fígado. No entanto, os médicos constataram que houve um ferimento no intestino. O estado de saúde de Bolsonaro é considerado estável.

Publicidade

Um inquérito foi aberto pela Polícia Federal (PF) para realizar a apuração do atentado. Entre os presidenciáveis, Jair Bolsonaro foi o primeiro a solicitar reforço de segurança policial. O candidato conta com o apoio da Polícia Federal.

Publicidade

Militares da reserva que têm apoiado a candidatura de Bolsonaro haviam alertado que existia a possibilidade do presidenciável ser atacado em ato de campanha. O alerta principal veio do general Augusto Heleno (PRP), um dos candidatos que chegou a ser sondado para ocupar a vice-presidência na chapa de Bolsonaro.

Publicidade
Publicidade
Publicidade