in

Advogado de Rejane afirma que Aline Barros a humilhou e a discriminou por causa de sua homossexualidade

Nos últimos anos, a cantora Gospel Aline Barros foi alvo de críticas por conta das várias declarações controversas que deu em relação a homossexualidade. 

Publicidade

Agora, uma bomba foi lançada na imprensa dando conta de que a cantora gospel, não somente se envolveu em polêmicas sobre religião, como também em um caso de discriminação contra Rejane Silva Magalhães. A backing vocal da artista veio a público revelar que passou a ser discriminada por Aline depois que rumores sobre sua orientação começaram a aparecer. 

Giovanni Ítalo, advogado que representa Rejane, e outros cinco membros da banda da cantora afirmaram ao site TV Foco, que a cantora Aline barros chegou a confrontar sua funcionária questionando sobre sua orientação, mas ela teria se negado a responder – Rejane não era assumida e também frequentava uma igreja evangélica. 

Publicidade

O advogado ainda relatou que a backing vocal passou a ser perseguida nos bastidores, sendo tratada com indiferença. Rejane não era convocada para todos os shows, como de costume, o que acabou gerando uma redução nos seus ganhos. Também há relatos de que as viagens que antes eram feitas de avião começaram a ser realizadas de ônibus.

Publicidade

Giovanni Ítalo confirma que as atitudes começaram a acontecer logo nos últimos cinco meses de trabalhos prestados a cantora. Mesmo diante das dificuldades ela continuou se submetendo as humilhações, até ser demitida sem direito a nenhum vínculo empregatício. Por conta deste motivo, Rejane entrou com a ação trabalhista em que pede uma indenização milionária.  

Publicidade

O caso está correndo na 4ª Vara do Trabalho do Rio de Janeiro, onde a cantora está sendo processada por não reconhecer os direitos trabalhistas da de sua ex-backing vocal, que inclui 13ª salário e fundo de garantia. 

Publicidade
Publicidade
Publicidade