in

5 fotos de pessoas com cicatrizes incomuns que parecem tatuagens; saiba o que as causam

Um fenômeno natural que ocorre com muita frequência são os raios, porém, as chances de uma pessoa ser atingido por um são de 1 em 300 mil. Felizmente, cerca de 90% das pessoas que foram atingidas por raios sobrevivem, mas ficam com cicatrizes das descargas elétricas como tatuagens.

Publicidade

Essas marcas são conhecidas como Lichtenberg e são bastante assustadoras se levar em consideração o que um raio pode fazer. Um relâmpago pode ser cinco vezes mais quente que o sol, contendo até 1 bilhão de volts de eletricidade.

Ao entrar no corpo de uma pessoa o raio causa pequenos curtos-circuitos no coração, sistema nervoso e pulmões. O indivíduo pode ter uma parada cardíaca, lesões cerebrais, convulsões, amnésia e danos na medula.

Publicidade

O calor extremamente forte também pode danificar os olhos, causando turvação das lentes, cataratas e furo na retina. Porém, o raio também percorre a superfície do corpo, forçando as células vermelhas do sangue nas veias e nos capilares, indo até a epiderme.

Publicidade

O resultado é uma ferida que deixa cicatrizes, causadas por uma queimadura, que pode atingir o terceiro grau. Às vezes a explosão pode ser tão grande que vaporiza as roupas e sapatos que a pessoa está usando.

Publicidade

O raio vai percorrendo o sistema circulatório de todo o corpo, deixando as cicatrizes causadas pelas queimaduras por onde passa. Por isso, as pessoas ficam com marcas semelhantes a tatuagens. É como se as veias e os capilares tivessem sido desenhados e tatuados para o lado de fora do corpo, resultando no que você nas fotos.

Publicidade
Publicidade