in

Bolsonaro expõe desigualdade salarial entre Bonner e Renata, e valores são revelados

Candidato à Presidência da República pelo PSL, Jair Bolsonaro foi entrevistado no Jornal Nacional desta terça-feira (28). O principal telejornal da Rede Globo realizará sabatina com os quatro primeiros colocados na pesquisa de intenção de votos. Ciro Gomes abriu a série, na segunda, e Bolsonaro foi o segundo, nesta terça.

Publicidade

Em uma das perguntas, a jornalista Renata Vasconcelos abordou o tema desigualdade de gênero. “Segundo o (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas) IBGE a mulher ganha 25% a menos que os homens. O senhor já disse que no serviço público há garantia dessa igualdade e na iniciativa privada vale o livre-arbítrio do empregador”, explicou Renata.

Em seguida, depois de mais algumas afirmações, ela perguntou a Bolsonaro. “O fato é que o senhor afirmou que não empregaria mulheres com os mesmos salários dos homens. Como explicar isso às mulheres?”, perguntou.

Publicidade

Bolsonaro disse que não havia nada dele a respeito disso e perguntou se Renata tinha assistido no programa de Luciana Gimenez, na RedeTV!. “Estou vendo aqui uma senhora e um senhor (referindo-se a Bonner e a Renata) e há uma diferença salarial aqui. Parece que é muito maior para ele do que para a senhora”, afirmou Bolsonaro.

Publicidade

Além de apresentadora do Jornal Nacional, Renata Vasconcelos também é editora-executiva. Os rendimentos mensais dela estão na casa dos R$ 200 mil. William Bonner, seu companheiro de bancada, é apresentador e editor-chefe do JN há alguns anos, por isso recebe em torno de R$ 700 mil mensais, de acordo com dados divulgados pelo site Bastidores da TV.

Publicidade

Ao ouvir a insinuação de que estava sendo prejudicada em seu salário, Renata interrompeu o candidato e disparou: “Eu poderia até como cidadã, e como qualquer cidadã brasileiro fazer questionamentos sobre seus proventos, porque você é um funcionário público, deputado há 27 anos e eu como contribuinte ajudo a pagar o seu salário. O meu salário não diz respeito a ninguém e eu posso garantir ao senhor como mulher, que eu jamais aceitaria receber um salário menor de um homem que exercesse as mesmas funções que eu”, afirmou a jornalista.

Publicidade
Publicidade
Publicidade