in

Mais de 200 mil CRIANÇAS se casam nos EUA

Mais de 200 mil casos de casamentos infantis foram registrados entre 2000 e 2015, nos Estados Unidos, de acordo com dados da Unchained At Last, grupo que faz campanha para abolir a prática, e a Frontline, série de documentários investigativos. Entre os mais novos a se casarem graças às lacunas na legislação americana, estavam três meninas de 10 anos e um menino de 11.

Publicidade

Fraidy Reiss, fundador da Unchained at Last, diz ter ficado em choque ao obter os números de Nova Jersey, onde fica a sede do grupo. Ao todo, foram 3.500 casos, 87% com adolescentes entre 16 e 17 anos. — O número era muito maior do que esperávamos. Eram crianças com idades de até 13 anos. Na maioria das vezes, meninas casando-se com homens adultos — disse Reiss. Em maio passado, Chris Christie, governador de Nova Jersey, barrou uma lei que levaria o estado a ser o primeiro a proibir o casamento infantil por completo, sem exceções.

O republicano se justificou alegando que a medida entraria em conflito com práticas religiosas locais e afirmou ainda que uma versão revista da lei poderia ser aprovada no futuro. Para Christie, a legislação deve oferecer exceções para jovens entre 16 e 17 anos. Em boa parte do país, a idade mínima para se casar é de 18 anos, mas todo estado tem suas exceções. Consentimento dos pais ou gravidez, por exemplo, costumam permitir a menores de idade trocarem alianças entre si ou com adultos.

Publicidade

Muitas vezes, o casamento vem inclusive antes de os jovens sequer poderem ter relações sexuais legalmente, já que a idade para consentimento normalmente varia entre 16 e 18 anos. Apenas 14% dos casamentos se deram entre menores. Na maioria das vezes, o parceiro tinha entre 18 e 29 anos, com 60% entre 18 e 20. Segundo a pesquisa, são mais raros os casos em que a diferença de idade é de décadas, mas ainda assim eles acontecem. No Alabama, uma menina de 14 anos casou-se com um idoso de 74. Em Idaho, caso parecido aconteceu entre uma jovem de 17 e um noivo de 65.

Publicidade

De acordo com Nicholas Syrett, autor do livro "American child bride", as meninas forçadas a se casarem normalmente têm origens mais pobres. — Quase todas evidências indicam que as meninas das cidades não se casam jovens. O mesmo vale para as de classe média e ricas. Trata-se de um fenômeno rural e da pobreza. As noivas mais jovens tinham apenas 10 anos quando se casaram com homens de 24, 25 e 31, em 2001, no Tennessee. Cinco anos depois, foi a vez de o noivo mais jovem, de 11, unir-se a uma mulher de 27. Ao todo, mais de mil crianças de 14 anos ou menos se casaram no período de 15 anos.

Publicidade

Os números provavelmente são maiores, já que dez estados fornecerem dados incompletos ou ignoraram os pedidos dos pesquisadores. Mês passado, Nova York proibiu crianças menores de 17 de se casarem. Antes, menores a partir de 14 anos podiam obter a licença caso tivessem a permissão dos pais e da corte.

Fonte: GAZETA ONLINE

Publicidade
Publicidade
Publicidade