in

Produtos para pele e cabelo são proibidos pela Anvisa

A fiscalização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária está pegando firme contra as empresas irregulares do mundo dos cosméticos e decidiu notificar às empresas Titânia Indústria de Cosméticos, e Ecco Brasil Ecological Cosmetics. 

Publicidade

A Anvisa decidiu retirar de circulação o cosmético The First, que é produzido pela Titânia. Este produto, apesar de ser comercializado em vários locais de venda, não contém registro junto aos órgãos competentes e, sendo assim, torna-se inviável por não conseguir comprovar sua eficácia. 

Em esclarecimento no site da empresa, a mesma se posicionou como uma produtora de itens de higiene que terceiriza seus trabalhos, ou seja, ela fabrica para que outras empresas vendam.

Publicidade

A segunda empresa em questão, a Ecco Brasil, teve três produtos proibidos pela agência fiscalizadora, também por não conter registro. Sendo eles: Shampoo Erva Doce Ácool, 5L; Sabonete Líquido Erva Doce, de 5L e Condicionador Ecco também de 5L.  

Publicidade

Para aqueles que acharam um tanto estranho os tamanhos das embalagens, a explicação é que essa marca é especialista na venda destes produtos de higiene pessoal à indústrias hoteleiras.

Publicidade

No mês passado, a Anvisa já havia tomado uma decisão semelhante e tirou de circulação dois cosméticos para pele e cabelo. Nesta ocasião, os cosméticos foram proibidos pelo órgão foram os Agerivka Rivka (para pele) e o alisante de cabelo In Gel Maxx Forever Liss Professional (para escova progressiva).

O primeiro produto citado é fabricado pela Hadassah Cosméticos Ltda e, segundo informações da fabricante, o produto é indicado na manutenção da pele. No entanto, as informações repassadas pela empresa são diferentes das que estão registrada na Anvisa.

Já o segundo produto foi impedido de ser comercializado por conter formol, que pode causar câncer.

Publicidade
Publicidade
Publicidade